Vídeos da MTV serão disponibilizados a todos internautas

Você não encontrará mais clipes do Daily Show do humorista Jon Stewart ou de Pimp My Ride da MTV no YouTube, mas a Viacom está trabalhando para disponibilizar seus vídeos a centenas de milhares de outros sites. Nos próximos meses, usuários da web poderão pegar vídeos de quase todos os sites pertencentes à MTV e postá-los em seus próprios blogs ou sites, diminuindo a necessidade de ir ao YouTube, o grande serviço de vídeos online comprado pelo Google no ano passado. A Viacom, proprietária da MTV Networks e do estúdio de cinema Paramount, vinha planejando isso durante meses antes de, no início de fevereiro, pedir ao YouTube que retirasse de seu site mais de 100 mil videoclipes não autorizados da Viacom, depois de não conseguir fechar um acordo de distribuição. "Precisamos abrir nossos sites e nosso conteúdo aos consumidores e a outras companhias", disse em entrevista na sexta-feira Mika Salmi, presidente de mídia digital global da MTV Networks. A iniciativa faz parte de uma estratégia para elevar os sites da Viacom para os padrões "Web 2.0", disse Salmi. "Parte disso consiste em autorizar as pessoas a pegar nosso conteúdo e fazer suas próprias coisas com ele, o que elas quiserem." A MTV, que já foi o árbitro do que é cool para espectadores jovens, agora está tentando recuperar seu atraso em relação aos sites de relacionamento social online como MySpace, da News Corporation, mas perdeu para Rupert Murdoch, o que provocou o afastamento do executivo-chefe da Viacom. Continuar sendo relevante A Viacom ainda não excluiu a possibilidade de fechar um acordo com o YouTube, e analistas dizem que o desentendimento não passa de tática de negociação. Mas a Viacom acha que continuar sendo relevante para a nova geração de consumidores de mídia é uma de suas primeiras prioridades. Para isso, está emprestando idéias de suas concorrentes. Desde dezembro o site do Comedy Central, da Viacom, permite aos espectadores que passem seus vídeos para seus próprios sites. Outras empresas da Viacom, iFilm e AddictingGames, oferecem essa possibilidade há mais tempo. Emprestada de sites como YouTube e MySpace, a idéia ajuda a Viacom a depender menos de sites como o YouTube, alcançando os espectadores onde quer que eles migrem, mesmo que seja para o blog de um amigo. Ao mesmo tempo, a empresa pode controlar sua própria programação e publicidade. A interligação da rede global de mais de 150 sites da MTV Network vem sendo um trabalho demorado, mas os executivos vêem a ligação dessas diversas plataformas tecnológicas como crucial para seu futuro. Alcançar os espectadores onde quer que eles se encontrem vem sendo uma das propostas chaves dos novos modelos de negócios na internet. Ao mesmo tempo em que as empresas exploram suas próprias estratégias, várias grandes empresas de mídia, incluindo a Viacom e a News Corp, andam discutindo a possibilidade de formar um rival do YouTube, disseram fontes. O executivo-chefe da Viacom, Philippe Dauman, disse em novembro que a empresa tem "boas chances" de gerar US$ 500 milhões em vendas de suas propriedades digitais em 2007. A companhia planeja investir pesado em novas redes e propriedades digitais. A MTV Networks disse que vai cortar cerca de 250 profissionais nos EUA para reduzir custos e investir em seu futuro televisivo e digital, segundo um memorando interno da divisão.

Agencia Estado,

12 Fevereiro 2007 | 18h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.