Vietnã proíbe transporte de aves para conter gripe aviária

As autoridades do Vietnã proibiram o transporte de aves e passaram a controlar as estradas do sul do país para impedir a disseminação do vírus H5N1, da gripe aviária, informaram nesta sexta-feira, 29, fontes oficiais."Ordenamos o sacrifício das aves nas áreas afetadas e a desinfecção das fazendas, o estabelecimento de controles para conter o transporte de frangos das zonas infectadas e que a vacinação dos animais continue", disse o diretor do departamento veterinário da província de Hau Giang (sul), Nguyen Hien Trung.A gripe aviária reapareceu no Vietnã há dez dias. Aves mortas foram encontradas em algumas fazendas do sul do país e os exames laboratoriais confirmaram que as mortes foram causadas pelo vírus H5N1.A partir de então, as autoridades do Vietnã ordenaram o sacrifício de aves e a desinfecção das localidades afetadas com o objetivo de conter o vírus o mais rápido possível.Esta medida foi tomada após dezembro de 2003, quando foram verificados casos da doença. A epidemia demorou três anos para ser completamente eliminada e deixou 42 pessoas mortas.Os responsáveis pela saúde no Vietnã afirmaram que o país estava livre da gripe aviária após um mês sem casos de infecções e depois de várias campanhas de vacinação.No entanto, apesar dos esforços realizados em coordenação com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o H5N1 ressurgiu na última semana em Hau Giang. As províncias de Bac Lieu e Ca Mau - que ficam perto de Ho Chi Minh (antiga Saigon) - já estão contaminadas."A possibilidade de o surto se estender mais é muito alta, pois o tempo frio é ideal para o vírus H5N1. Além disso, estamos na estação das migrações de aves na região", disse o veterinário Hoang Van Nam."Os granjeiros ainda subestimam o perigo da epidemia e, à medida que se aproxima o ano novo lunar, a população local transportará mais aves", acrescentou o especialista. A Grande Festa do Tet, a mais importante do Vietnã, ocorre em 17 de fevereiro.

Agencia Estado,

29 de dezembro de 2006 | 12h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.