Vigário faz greve de fome para evitar despejo em MG

O vigário episcopal da região Pastoral I da Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano, padre José Geraldo de Melo, decidiu entrar em greve de fome para cobrar uma solução para aproximadamente 300 famílias ameaçadas de despejo de uma área na cidade de Itabira (MG), invadida há 11 anos. Uma decisão judicial deu prazo até 31 de julho para que o local seja desocupado.

EDUARDO KATTAH, Agência Estado

16 Junho 2011 | 17h45

O terreno invadido é particular e possui cerca de 30 hectares. Logo após a ocupação, os proprietários da área entraram com uma ação de reintegração de posse. Na luta para evitar o despejo, representantes da Comunidade Drummond - nome dado à ocupação, em homenagem ao poeta itabirano Carlos Drummond de Andrade - montaram acampamento em frente à prefeitura da cidade. Cerca de 20 famílias permanecem acampadas há 25 dias.

Diante do impasse na negociação com a prefeitura, o vigário decidiu no último dia 10 iniciar um "jejum cristão". Ele assegura que desde então tem ingerido apenas água. "É um jejum em solidariedade às famílias, é um jejum cristão e um meio para sensibilizar as autoridades locais, no sentido de garantir uma área para que eles possam construir suas casas, barracos", disse.

Os moradores da Comunidade Drummond cobram da prefeitura a desapropriação do terreno ou apoio para a instalação das famílias em uma nova área. Segundo a assessoria da prefeitura, o prefeito João Izael negociou um acordo para a construção de apartamentos, mas os moradores recusaram, exigindo casas. Eles também não aceitaram desmontar o acampamento e o prefeito encerrou as negociações. De acordo com a Prefeitura de Itabira, não há possibilidade de desapropriação já que o terreno é alvo de litígio judicial.

Mais conteúdo sobre:
greve de fome vigário MG

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.