Vigilância sanitária ranqueia navios

Os 18 navios de cruzeiro que passaram pela costa brasileira durante a temporada atual foram classificados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de acordo com o grau de risco sanitário que apresentaram na fiscalização que o órgão realizou quando chegaram ao Brasil. É a primeira vez que uma lista desse tipo é divulgada.

O Estado de S.Paulo

20 Março 2012 | 03h03

O ranking, divulgado ontem, classifica os navios em quatro categorias, de A (mais seguros) a D (em condições inadequadas). A maioria das embarcações (11) foi colocada na categoria B, ou seja, com boas condições sanitárias (acima da média). Quatro navios apresentaram excelentes condições e receberam a classificação A.

As embarcações Grand Holiday e MSC Armonia - do qual uma funcionária, a garçonete Fabiana dos Santos Pasquarelli, de 30 anos, morreu em fevereiro, infectada com o vírus influenza B, da gripe - foram classificadas na categoria C, que abrange os navios em condições sanitárias satisfatórias (na média).

O navio Grande Amazon foi o único que não apresentou condições sanitárias adequadas, ficando na categoria D. Por não ter sido aprovada pela Anvisa, essa embarcação só será autorizada a retomar a navegação após corrigir os problemas.

As principais irregularidades encontradas dizem respeito aos serviços de alimentação - por falhas no controle de temperatura e por produtos com validade vencida -, à potabilidade da água e à presença de objetos estranhos na sala de ar condicionado.

Na temporada 2010/2011, 38% dos casos de doenças a bordo de navios de cruzeiro foram de diarreia aguda, causadas especialmente pelo norovírus, geralmente transmitido por alimentos contaminados. Apesar da fácil disseminação e contágio, as infecções por norovírus não costumam ser graves.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.