Vila Isabel volta a levar temas engajados ao Sambódromo

Campeã em 2006 mostra na Marquês da Sapucaí os escravos, imigrantes, sindicatos e o trabalho infantil

ANA LUISA WESTPHALEN, Agencia Estado

04 de fevereiro de 2008 | 13h04

A Unidos de Vila Isabel volta a cantar temas engajados 20 anos após o desfile que a consagrou, em 1988, quando tratou da negritude, com o enredo Kizomba, Festa da Raça. A escola, que saiu do grupo de acesso e voltou ao especial em 2004, tem afinidade com questões sociais. O enredo deste ano, Trabalhadores do Brasil, foi sugerido pela diretoria da agremiação. Em 2006, a última vez que optou pelo estilo, com o tema Soy louco por ti, América: a Vila canta a latinidade, o sucesso rendeu o título de campeã do carnaval carioca. Mangueira e Viradouro empolgam na 1ª noite Saiba como foram os desfiles em SP no 2º dia Saiba como foram os desfiles em SP no 1º dia Veja as melhores imagens dos desfiles em SP Qual escola de samba será campeã em SP?  Qual escola de samba será campeã no Rio?  Tudo sobre as escolas do Rio e os sambas  As melhores imagens do Carnaval pelo Brasil   O tema Trabalhadores do Brasil seria abordado no desfile de 1951, que não ocorreu por causa de um temporal. O carnavalesco Alex de Souza promete contar no decorrer das alas a história de lutas e resistência do trabalhador brasileiro: "Vamos contar o que essa gente fez em cada época para mudar sua situação. Há um tom crítico de ponta a ponta", informou. Alex de Souza também adiantou que a Velha Guarda representará a classe dos aposentados e questionará o sistema previdenciário no País. De acordo com ele, o patrocínio do desfile é da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa).A Vila falará sobre escravos, trabalhadores imigrantes, rurais e da indústria e também abordará a atuação de sindicatos, partidos e atuais bandeiras de luta da classe. Como não poderia ser diferente, a figura do ex-presidente Getúlio Vargas terá destaque no desfile. Alex de Souza também fará um alerta sobre a questão do trabalho infantil. "Queremos mostrar dados sociológicos e históricos, mas com uma abordagem muito luxuosa. A estética que escolhemos é agradável, tem beleza e impacto, imagens diversificadas e materiais bem inovadores." Um momento especial do desfile, para o carnavalesco, será a penúltima alegoria, que representará uma montadora de automóveis da região do Grande ABC (SP), numa greve de operários de 1978, durante a ditadura militar. A escola entrará no Sambódromo com 3.600 integrantes em 34 alas e oito carros alegóricos. Fundada em 1946, desfilou pela primeira vez em 1947. O time de compositores é formado por André Diniz, Carlinhos Petisco, Evandro Bocão, Pingüim, Professor Wladimir, Dedé Aguiar, Eduardo Katata, Dinny, Miro Jr. E Carlinhos do Peixe. O intérprete é Tinga. O cantor e compositor Martinho da Vila, integrante histórico da escola, será um dos principais destaques. Mas a Vila terá também na passarela a ex-BBB Fany e o ator Rafael Raposo. A miss Brasil Natália Guimarães será a rainha da bateria. Em 2007, ficou em sexto lugar. Conquistou o título de campeã do Grupo Especial em 1988 e 2006. A passagem da Vila, quarta a desfilar no segundo dia de desfile, nesta segunda, está prevista para 0h15.   Confira o samba-enredo da Vila Isabel:Trabalhadores do BrasilÉ mais que um samba o que se criouÉ um hino ao povo trabalhadorA louvação a nossa genteVista indolente, pelos olhos da ambiçãoNativa cor que foi presentePintou as dores da escravidãoA resistência mudou de cor e renasceuCom a força e a fé do negroE ao quilombo ascendeuNosso ideal de liberdadeCansado de ter nos ombrosDescanso do senhor, ecoou... Que o brasileiro tem o seu valor!Meu Deus ajude o trabalhador!E a imigração cruzou o azul do marEm nosso campo ver a vida melhorar Voz de quem resistiu, a Era Vargas ouviuConsolidar nossas conquistas,Em direitos trabalhistas,Comemora quem tanto lutouTempo de industrialização,Candangos, então, erguem BrasíliaSindicato consciente,Terra para nossa gente cultivar democraciaAvante, trabalhadores de Vila IsabelQuem faz a hora não espera acontecerSuor dessa gente, construiu esta naçãoVerdadeiros filhos deste chão Hoje é dia do trabalhadorQue conquistou o seu lugarE vai nossa vila, fazendo históriaPra luta do povo eternizar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.