Vírus da gripe aviária deixa Coréia do sul em alerta

As autoridades sul-coreanas se encontramem alerta nesta segunda-feira para impedir a propagação do vírus da gripe aviária,depois de confirmada a detecção do variante letal H5N1 em uma fazenda do país. Como medida de prevenção, o Ministério de Agricultura e Florestas sacrificará esta semana 236 mil frangos e aves que se encontram emum raio de 500 metros da fazenda de Iksan, onde na semana passada o foco foi detectado. Está previsto o sacrifício de outros animais comocachorros, porcos e gatos, bem como a eliminação de seis milhões de ovos nessa região, processo que deverá esta concluído na próxima quinta-feira. As autoridades sanitárias da Coréia do Sul confirmaram no sábado que o vírus da gripe aviária detectado em uma fazenda de frangos em Iksan, cerca de 230 quilômetros ao sul de Seul, é da variante H5N1, que pode ser transmitido a humanos. Mais de 6 mil das 13 mil aves criadas nessa fazenda morreram na semana passada, e as autoridades sacrificaram imediatamente 6.300frangos para impedir a propagação do vírus. Trata-se do primeiro foco da gripe aviária na Coréia do Sul desde 2003, quando foram sacrificadas mais de cinco milhões de aves nopaís para evitar o contágio de humanos. Logo após a confirmação desse possível caso de vírus de gripe aviária, o governo do Japão suspendeu as importações de carne defrango da Coréia do Sul. As autoridades de Pyongyang anunciaram váriasmedidas de prevenção para evitar a propagação de uma possível epidemia aviária, como a vacina de frangos e quarentenas, segundo indicou a agência norte-coreana Korean Central News Agency. Desde sua reaparição no final de 2003, o vírus H5N1 infectou 258 pessoas em dez países, das quais 153 morreram, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Embora não haja indícios até o momento de uma transmissão do vírus a humanos, as autoridades começaram a vacinar pessoas que vivem emum raio de 500 metros da fazenda. Além disso, reforçaram a desinfecção na rota de avesmigratórias para deter uma possível propagação do vírus em todo o país. Enquanto isso, o governo sul-coreano tenta frear a queda do consumo ocasionada por esta epidemia com uma campanha que defende que o sistema de controle de carne de aves é seguro. A primeira-ministra, Han Myung-sook, tentou tranqüilizar a população em pronunciamento em emissoras de TV locais. Segundo as empresas do setor, o consumo de frangos caiu pelomenos 10% desde a aparição do vírus, índice moderado em comparação com os 40% registrados em dezembro de 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.