Vítima de bala perdida na Maré permanece estável

O comerciante Francisco Oliveira Lemos, de 47 anos, que levou um tiro na perna esquerda na Vila dos Pinheiros, no Complexo da Maré, na noite dessa segunda-feira, 14 permanece internado no Hospital Pasteur, no Méier, zona norte do Rio.

THAISE CONSTANCIO, Agência Estado

16 Abril 2014 | 11h36

No mesmo dia, a dona de casa Terezinha Justina da Silva, de 73 anos, foi atingida no peito e no abdômen e morreu após dar entrada no Hospital de Bonsucesso.

Lemos que teve uma fratura exposta na tíbia esquerda, está em um leito no Pasteur, após passar por uma cirurgia na noite dessa terça-feira, 15. Seu estado de saúde é estável, ele está lúcido, respira sem ajuda de aparelhos e não tem sequelas motoras. Ainda não há previsão de alta.

Investigação

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar de onde partiram os tiros que atingiram Lemos e Terezinha. O delegado Fábio Cardoso, da Delegacia de Homicídios, ouve testemunhas civis e militares (da PM e do Exército) para buscar maiores informações.

Segundo a Força de Pacificação, uma viatura foi alvejada por disparos de fuzis quando passava pela Vila dos Pinheiros, favela dominada pelo Terceiro Comando Puro (TCP), e os policiais não teriam revidado. "Diante da ameaça, a viatura se evadiu do local, buscando preservar a vida dos militares", informou a nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.