Viveiros não atendem à demanda

A produção atual de mudas e sementes não atende à demanda de áreas degradadas. Segundo dados do Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (Ipef) e da Embrapa, são produzidas, por ano, 280 milhões de mudas, o equivalente a 170 mil hectares. A estimativa, porém, é a de que haja mais de 200 milhões de hectares de áreas degradadas no Brasil. "Abrir e gerenciar um viveiro no Brasil não é tarefa fácil", diz o sócio do Viveiro Agromineira, em Holambra, Flávio Antônio Xavier. O viveiro tem mais de 150 espécies de flores e árvores nativas e comercializa, por ano, 500 mil mudas e 50 quilos de sementes. A área de produção é de 6 mil metros quadrados. Cerca de 80% das mudas vendidas são para reflorestamento. "Até toda a papelada ficar pronta, com todos os registros e autorizações necessários, foram dois anos e meio", diz Xavier. "A demanda tem crescido, mas, além de todo o processo burocrático, os viveiros não têm escala de produção e espécies diversificadas para atender a quem refloresta", diz o técnico agrícola do viveiro, Emilson José Rabelo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.