Voo 447: base de Fernando de Noronha ganhará reforço

Três dias depois do desaparecimento do voo 447 da Air France no Oceano Atlântico, os militares brasileiros já trabalhavam com a expectativa de que as operações de busca se estenderão por mais tempo. Com isso, cresce a necessidade de reforçar a estrutura da Força Aérea Brasileira (FAB) em Fernando de Noronha. Ontem, um avião Hércules C130 decolou rumo ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, em busca de mais equipamentos de infraestrutura para a base avançada. Uma cozinha militar, que utiliza alimentos desidratados, e mais mantimentos também serão enviados ao arquipélago.

AE, Agencia Estado

04 Junho 2009 | 08h43

A base montada em Fernando de Noronha não tem condições de suprir as necessidades logísticas da operação de buscas. Mas ela ganhou mais importância com a localização dos destroços do Airbus desaparecido no domingo à noite, com 228 pessoas a bordo, durante o trajeto Rio de Janeiro-Paris. A FAB confirmou que os destroços serão levados a Fernando de Noronha, onde deverão passar por uma primeira análise.

Caso os corpos sejam localizados, eles também deverão passar por um primeiro processo de triagem na base avançada. O destino seguinte não está definido, mas tudo indica que a Aeronáutica escolha o Recife. Parte da equipe formada por técnicos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) ainda estava em Natal ontem, aguardando definição. O restante da equipe e técnicos do Instituto Médico-Legal (IML) do Recife seguiram para Fernando de Noronha. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.