Voo 447: Jobim rebate críticas e nega ter se precipitado

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, reagiu hoje às críticas de que teria se precipitado ao relacionar os primeiros objetos encontrados no mar na busca ao Airbus da Air France a destroços da aeronave que desapareceu na rota Rio-Paris no dia 1º. Um dia após o ministro ter feito a declaração, a Aeronáutica o desmentiu, apontando que as peças eram de madeira e não poderiam pertencer ao avião. Jobim negou ter errado, argumentando que se referia a uma trilha de destroços que eram do Airbus e que depois se dissiparam no mar.

CAROLINA FREITAS, Agencia Estado

08 de junho de 2009 | 15h43

"Tenho costas de crocodilo e arrogância de gaúcho", disse, ao ser questionado sobre as críticas, em evento do Grupo de Líderes Empresariais (Lide), em São Paulo. "Acho absolutamente irrelevante o que foi dito pela imprensa francesa porque, na verdade, os destroços eram do próprio avião." O ministro disse ter optado por falar sobre os destroços para aliviar a angústia das famílias das vítimas do acidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.