Voto latino pode decidir prévia em Nevada

Hillary e Obama disputam eleitorado hispânico, que representa 30% do Estado.

Bruno Garcez *, BBC

19 de janeiro de 2008 | 08h15

Nevada é a primeira parada da corrida eleitoral americana em que o voto latino tem um peso significativo e pode ser o fiel da balança, em especial na campanha dos pré-candidatos democratas.   Veja também:Propostas para a saúde devem ser decisivas em NevadaCobertura completa das eleições Eleições nos EUA Os republicanos decidiram praticamente ignorar a prévia ou caucus de Nevada, que acontece neste sábado, e concentrar esforços na primária republicana da Carolina do Sul, que ocorre na mesma data. Os hispânicos representam mais de 30% da população de Nevada, mas pouco mais de 11% dos eleitores registrados. Otto Mérida, presidente da Câmara de Comércio Latino em Nevada, disse à BBC Brasil que mesmo não sendo uma parcela expressiva dos votantes, o poder do voto hispânico ganha um peso especial. Clinton X Barack "Se olharmos para as eleições passadas, em Nevada, os candidatos vencedores sempre ganharam por uma margem estreita. Por isso, o voto latino pode ser crucial'', afirmou Mérida. A senadora Hillary Clinton tradicionalmente detinha a preferência do eleitorado hispânico, mas o senador Barack Obama está tentando reverter essa vantagem. Segundo pesquisa do jornal Las Vegas Review Journal, em Nevada, Hillary conta com o apoio de 50% do eleitorado hispânico; Obama, com 29%. Um dos passos da ofensiva hispânica de Obama nos últimos dias, foi o anúncio do apoio dado à sua campanha pelo Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Culinária, que reúne diversos funcionários dos cassinos de Las Vegas e Reno, muitos deles empregados de cassinos. Um dos lemas da campanha de Obama, o mote ''yes, we can'', foi devidamente adaptado para o espanhol em discursos para ''sí, se puede''. Hillary e Obama, que haviam declarado uma espécie de trégua nas últimas semanas, evitando ataques mútuos, pareceram ter voltado atrás. Cassinos Militantes pró-Hillary e o marido da senadora, o ex-presidente Bill Clinton, criticaram a medida que permite a realização da prévia em nove locais de Las Vegas que abrigam cassinos. A decisão de promover a prévia em cassinos foi tomada no ano passado pelo Partido Democrata, a fim de que trabalhadores de cassinos pudessem participar da prévia durante os seus turnos de trabalho, uma vez que o caucus tem início às 11h locais (17h, de Brasília) deste sábado. Mas a campanha de Hillary afirma que a realização do processo em cassinos daria aos delegados eleitos nesses locais um peso desproporcional em relação ao de condados menos populosos, situados principalmente na área rural de Nevada. Os ativistas pró-Obama reagiram dizendo que as críticas e a ação legal contra a prévia nos cassinos, movida pela Associação Estadual de Educação de Nevada, que conta com representantes que anunciaram o apoio a Hillary, só ocorreu dois após o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Culinária ter manifestado o seu apoio a Obama. 'Direitos dos trabalhodores' O sindicato Unite Here, que representa mais de 400 mil funcionários da indústria têxtil e hoteleira e que é ligado ao Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Culinária, começou a veicular um anúncio de rádio no qual um narrador diz que ''Hillary Clinton não respeita a nossa gente. Os simpatizantes de Hillary Clinton querem impedir que pessoas votem em seus locais de trabalho neste sábado. Isto é imperdoável. Hillary Clinton não tem vergonha''. O anúncio também cita a candidatura de Obama e a sua suposta defesa dos direitos dos trabalhadores. A despeito da cobiça em torno dos eleitores hispânicos, os últimos comícios de Obama e Hillary em Nevada contavam com um número muito pequeno de hispânicos. Os dois candidatos esperam que, neste sábado, a história seja outra. * Colaborou: Lourdes Heredia BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.