Vulcão atrasa mudanças no carro de Di Grassi para GP da Espanha

O piloto brasileiro Lucas di Grassi corre o risco de ficar sem combustível para o Grande Prêmio da Espanha de Fórmula 1, após atrasos nos voos causados pelas cinzas de um vulcão islandês impedirem que a equipe modificasse seu carro a tempo.

MARTYN HERMAN, REUTERS

03 de maio de 2010 | 19h32

A equipe alterou o chassi do carro VR-01 do alemão Timo Glock, mas os atrasos causados pelo recente caos aéreo forçarão Di Grassi a conduzir a versão antiga do carro no início da temporada europeia.

A Virgin descobriu, após a corrida de abertura da temporada no Bahrein, que o tanque de combustível é insuficiente para finalizar todas as provas, apesar de outros problemas terem tornado este praticamente irrelevante. A escudeira finalizou apenas uma prova até agora.

Os técnicos da equipe esperavam aproveitar o intervalo de três semanas entre o Grande Prêmio da China e a prova deste fim de semana para concluir a remodelação de ambos os carros, incluindo a nova aerodinâmica, mas muitos funcionários ficaram presos em Xangai por mais cinco dias.

"Como conseqüência, a Virgin Racing vai estrear apenas um chassi revisado no Grande Prêmio da Espanha neste fim de semana, o qual Timo Glock colocará à prova", disse a equipe em comunicado.

O diretor-técnico da Virgem, Nick Wirth, disse que os atrasos foram frustrantes.

"Tendo trabalhado incansavelmente para preparar o novo carro para a corrida ... é uma pílula amarga para engolir a de que somos incapazes de completar o segundo carro, devido aos 'atrasos vulcânicos'", disse.

Apenas Di Grassi terminou uma corrida nesta temporada, o GP da Malásia, quando foi obrigado a diminuir o ritmo para poupar combustível.

Tudo o que sabemos sobre:
F1VIRGINCARROS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.