VW compra 20% da Suzuki

Acordo é mais um passo da montadora alemã em sua meta de se tornar a maior do mundo

REUTERS, O Estadao de S.Paulo

10 Dezembro 2009 | 00h00

A montadora alemã Volkswagen anunciou a compra de uma participação de 20% na japonesa Suzuki Motor, por US$ 2,5 bilhões. Com isso, terá acesso à experiência da empresa japonesa na fabricação de carros de pequeno porte e o seu predomínio no mercado indiano, um passo a mais na estratégia da VW de se tornar a montadora número um do mundo.

Essa decisão é a segunda medida de impacto, em uma semana, do ambicioso chairman da Volkswagen, Ferdinand Piech, depois de a montadora alemã adquirir uma participação de 49,9% da fabricante de carros esportivos Porsche por US$ 5,8 bilhões.

O lugar-tenente de Ferdinand Piech, o diretor executivo Martin Winterkorn, disse esperar que a aliança com a Suzuki ajude a empresa a ultrapassar a líder do setor, a Toyota. "Se isso ocorrer mais rápido (antes de 2018), ficaremos felizes", disse Winterkorn a jornalistas, durante uma coletiva de imprensa em Tóquio, acompanhado do presidente da Suzuki, Osamu Suzuki, hoje com quase 80 anos.

Osamu Suzuki repetiu que não deseja que a empresa que ele dirigiu por três décadas passe para o controle da Volkswagen. "Não quero que vocês entendam mal: a Suzuki não vai se tornar mais uma marca da Volkswagen", disse, ao ser indagado se a montadora poderia ter um CEO alemão no futuro. "Não quero que outras pessoas fiquem me dizendo como fazer as coisas."

Com o setor automotivo global enfrentando uma demanda frágil, excesso de capacidade crônico e regulamentos mais rígidos em termos ambientais, as montadoras estão juntando forças para economizar bilhões de dólares que cada uma necessitaria para desenvolver motores superavançados.

Este mês, a PSA Peugeot Citroën, da França, e a Mitsubishi Motors, do Japão, informaram que estavam estudando a possibilidade de estreitar os laços, até agora limitados a uma parceria na área de projetos.

No caso dessa aliança mais recente, a Suzuki investirá até a metade dos recursos numa participação acionária cruzada, por meio da compra de 2,5% de ações com direito a voto da Volkswagen, por US$ 1,13 bilhão. "Essa transação foi realizada imediatamente após o acordo da Mitsubishi, e mostra que as montadoras estrangeiras estão procurando adquirir participações em empresas japonesas, aumentando os rumores de uma reorganização do setor automotivo", disse Noritsugu Hirakawa, estrategista da Okasan Securities.

A Volkswagen, que já é a montadora número um na China, o maior mercado automotivo do mundo, fornecerá à Suzuki tecnologia para fabricar carros elétricos e híbridos que faltam na sua linha de veículos.

"A parceria com a Suzuki ajudará o grupo VW a dar um enorme passo na direção do segmento de carros compactos, particularmente nos mercados emergentes da Ásia", disse Winterkorn. "A Suzuki, por seu lado, vai tirar proveito da nossa experiência em tecnologia ambiental."

MUDANÇAS NO CENÁRIO

A Volkswagen, com suas 10 marcas, que abrangem a Audi, Skoda, Seat e Porsche, diz que pretende se tornar a montadora número um do mundo em 2018, meta que alcançará com relativa facilidade caso a Suzuki se torne sua subsidiária.

Nos seis primeiros meses de 2009, a VW vendeu 3,265 milhões de veículos e a Suzuki 1,15 milhão. Suas vendas combinadas, de 4,415 milhões de unidades, seriam maiores do que as da líder Toyota, que vendeu 3,564 milhões veículos.

Há um ano, a Suzuki encerrou sua parceria com a General Motors, com a recompra da participação de 20% da montadora americana na companhia.

Ao contrário de uma parceria potencial entre a PSA e a Mitsubishi Motors, que muitos encaram como uma união de fracos, a Volkswagen e a Suzuki são consideradas empresas fortes, graças à sua grande exposição na China e na Índia.

Enquanto grandes mercados no Ocidente registraram um dos seus piores anos em termos de negócios, as vendas estrondosas na China e na Índia são de uma enorme ajuda. General Motors e a chinesa Saic Motor informaram na semana passada que começarão a fabricar veículos comerciais e carros de pequeno porte na Índia, aproveitando uma bem-sucedida parceria chinesa de 12 anos num dos mercados automotivos que crescem mais rápido no mundo.

NÚMEROS

3,265 milhões

de veículos vendeu a VW no 1.º semestre. A Suzuki vendeu 1,15 milhão

3,564 milhões

de veículos foram vendidos pela Toyota nesse período

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.