Wall Street afunda com temores sobre economia

As bolsas de valores dos Estados Unidos despencaram nesta quinta-feira, registrando a maior queda percentual acumulada em dois dias desde outubro de 1987, com perspectivas corporativas decepcionantes e fracas vendas de grandes varejistas alimentando temores de uma intensificação da desaceleração econômica. O índice Dow Jones perdeu 4,85 por cento, a 8.695 pontos. O Standard & Poor's 500 despencou 5,03 por cento, a 904 pontos. O Nasdaq tombou 4,34 por cento, a 1.608 pontos. Ressaltando as preocupações sobre os fracos dados dos consumidores na chegada da temporada de festas, cadeias de varejistas divulgaram os piores dados de vendas mensais em três décadas à medida que os consumidores, atingidos pela crise financeira, cortaram seus gastos em outubro. A Targer e outras varejistas divulgaram uma queda maior do que a esperada nas vendas, derrubando suas ações em 6 por cento. O índice de varejistas afundou 5,4 por cento. "Esta queda cíclica está se espalhando para a economia como um todo e para os consumidores, e isto não sinal positivo para as ações", afirmou Bucky Hellwig, vice-presidente sênior da Morgan Asset Management. "Estes são problemas que não podem ser consertados realmente de forma rápida e nós estamos vendo isto sendo precificado nos mercado." Investidores cautelosos já se preparavam para os dados do emprego desta sexta-feira, que deve ressaltar ainda mais o enfraquecimento da economia. O mercado mais amplo, medido pelo S&P 500, registrou a sua pior queda acumulada em dois dias desde outubro de 1987. Apesar da forte alta no dia das eleições no começo da semana, o mercado não conseguiu se distanciar do desastroso mês de outubro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.