WWF alerta para risco de extinção do atum na Europa

Um tipo de atum muito valorizado para o uso na culinária japonesa está sendo pescado até a extinção na costa européia do Atlântico Norte e Mediterrâneo, alerta o grupo de conservação da natureza WWF, em relatório divulgado nesta quarta-feira. A denúncia diz que a pesca chega a 40% acima da cota legal determinada pela regulamentação internacional, e acusa barcos pesqueiros da Líbia, Turquia e de nações da União Européia (UE), principalmente da França, pela maior parte da pesca ilegal. "A pesca está saindo do controle", diz o WWF, afirmando que a expansão da atividade é impulsionada pelos altos preços pagos no Japão, onde algumas variedade de atum são valorizadas como ingredientes de sushi e sashimi. O grupo ambientalista pede que a UE imponha controles mais estritos à atividade durante a reunião da Comissão Internacional para a Conservação dos Atuns do Atlântico, prevista para novembro, na Croácia.O relatório foi elaborado para o WWF por uma consultoria espanhola, Tecnologias Avançadas de Cultivo de Atum. Representantes do WWF dizem que a companhia não tem laços com empresas de pesca na região.O crescimento da demanda pelo peixe levou à industrialização dos pesqueiros, com o peixe sendo capturado vivo, engordado e cultivado, e depois morto e processado ainda no mar. O WWF diz que muitos carregamentos produzidos dessa forma não são registrados.

Agencia Estado,

05 de julho de 2006 | 18h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.