Zelaya deixa Manágua em nova tentativa de volta a Honduras

O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, partiu na quinta-feira de Manágua dirigindo um jipe branco em direção à fronteira com o seu país, numa nova tentativa de regressar a Honduras e ao poder, do qual foi afastado por um golpe em 28 de junho.

REUTERS

23 Julho 2009 | 21h19

Zelaya decidiu-se a voltar depois de dar por fracassada a mediação do presidente da Costa Rica, Oscar Arias, que na quarta-feira apresentou às partes em conflito novas propostas para superar a pior crise das últimas duas décadas na América Central.

"O trecho é até Estelí, de onde serão feitos os planos para amanhã avançar até Somoto ou Ocotal (municípios nicaraguenses na fronteira com Honduras)", disse Zelaya a jornalistas antes de partir acompanhado pelo chanceler da Venezuela, Nicolás Maduro, e pelo ex-comandante guerrilheiro nicaraguense Edén Pastora.

"Posteriomente, no dia seguinte (sábado), para a fronteira. Na fronteira há muitos hondurenhos que estão chegando", disse Zelaya, vestindo seu chapéu característico e botas de vaqueiro.

Zelaya já tentou voltar a Honduras em 5 de julho, mas o avião do governo venezuelano no qual viajava foi impedido pelo Exército de pousar em Tegucigalpa. Um jovem partidário de Zelaya morreu nos confrontos registrados naquele dia.

(Reportagem de Iván Castro)

Mais conteúdo sobre:
HONDURASZELAYAVOLTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.