Zelaya pede que região não reconheça eleito

A menos de uma semana das eleições gerais em Honduras, o presidente deposto, Manuel Zelaya, fez ontem um apelo para que os líderes da região não reconheçam a votação e criticou os EUA por suas "posições ambíguas". "Nesses momentos tão difíceis pedimos aos países irmãos da América solidariedade a Honduras", afirmou Zelaya. Zelaystas preparam-se para boicotar "pacificamente" as eleições de domingo. O movimento será liderado pela Frente de Resistência, formada após o golpe que tirou Zelaya do poder, em 28 de junho. "Lutaremos contra as eleições nos 298 municípios e 18 departamentos do país", disse Juan Barahona, coordenador do grupo.

Reuters e AFP, O Estadao de S.Paulo

24 de novembro de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.