Zôo alemão ganha raro cruzamento de zebra e cavalo

Filha de cavalo com zebra fêmea, animal tem pelagem mesclada incomum

Agencia Estado

02 Julho 2007 | 08h54

À primeira impressão, parece que a foto foi trabalhada digitalmente, mas não é nada disso: trata-se mesmo do resultado incomum da cruza de uma zebra com um cavalo. A "egüebra" ou "zégua" Eclyse nasceu no zoológico do parque safari Stukenbrock, na Alemanha, fruto do relacionamento entre uma zebra fêmea e um cavalo. Normalmente, as cruzas entre cavalos e zebras costumam resultar em animais com o corpo totalmente listrado. A gravidez das zebras dura entre 365 e 375 dias, enquanto a das éguas é de 330 dias. No entanto, ninguém sabe quanto tempo a mãe de Eclyse esteve prenhe. Sabe-se que já na época colonial houve cruzamentos das duas espécies de Equidae na África, e até hoje a prática é comum. No Quênia, por exemplo, os animais são criados para passeios turísticos. ´Hobby´ Nos Estados Unidos, os "zebralos" são criados como hobby e para monta. Quase sempre, os pais são um garanhão zebra e uma égua, já que cavalos costumam ser mais dóceis que zebras. Eclyse parece ter herdado o impetuoso temperamento africano da mãe, mas os tratadores do zoológico Stukenbrock vêm conseguindo domá-la. A idéia agora é encontrar um companheiro para ela, já que tanto zebras quanto cavalos são animais que vivem em tropas. "Procuramos um pônei garanhão que tenha entre 1,40 m e 1,50 m. De preferência marrom e malhado", afirmou o chefe do parque alemão, Fritz Wurms. No entanto, por ser uma cruza entre duas espécies diferentes, é improvável que Eclyse seja fértil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.