Novas fábricas atraem fornecedor de peças

Faurecia inaugura 19ª filial em Limeira e negocia outras fábricas com grupos que estão se instalando no País

O Estado de S.Paulo

06 de julho de 2012 | 03h06

O grupo francês Faurecia, sexto maior fabricante de autopeças do mundo, inaugurou ontem nova fábrica em Limeira (SP) e negocia novas unidades para abastecer as chinesas Chery e JAC - que estão construindo unidades em Jacareí (SP) e Camaçari (BA) - e a Fiat, que terá uma filial em Goiana (PE).

O grupo já tem 19 unidades produtivas no País - incluindo a de Limeira, que produzirá escapamentos - e vai inaugurar mais duas até o fim do ano em São Bernardo do Campo (SP) e em Resende (RJ), onde fornecerá para-choques para Volkswagen e PSA Peugeot Citroën.

"O Brasil é um mercado em crescimento e queremos ampliar nossa presença no País, que hoje responde por 4% do nosso negócio", diz o presidente mundial do grupo, Yann Delabrière, que participou ontem da inauguração da filial. Em 2011, a companhia obteve receita de 16,2 bilhões. Mais da metade (60%) foi obtida na Europa, mas a tendência é de a região diminuir sua importância no grupo.

Segundo Delabrière, a empresa vai investir R$ 360 milhões até 2014 no País e também em duas unidades na Argentina e no Uruguai. "O setor de autopeças passa por algumas dificuldades atualmente, mas a tendência é de crescimento no longo prazo."

A Faurecia emprega no Brasil cerca de 4 mil pessoas e tem unidades em vários Estados, quase todas para atender as montadoras no sistema just-in-time. Produz equipamentos de controle de emissões, assentos e componentes internos e externos.

No grupo de empresas novatas, também assegurou fornecimento de peças para a japonesa Toyota e a coreana Hyundai, que nos próximos meses vão inaugurar fábricas nas cidades paulistas de Sorocaba e Piracicaba, respectivamente.

Além da Faurecia, as novas montadoras estão atraindo filiais de outros fornecedores que já atuam no Brasil e também de empresas que vão estrear no mercado brasileiro.

A Hyundai terá dez fornecedores ao lado da fábrica, oito deles de grupos coreanos que vieram ao País a convite da montadora, mas com intenção de atender a outros clientes. A Toyota terá 12 fornecedores ao seu redor, um deles a japonesa Boushoku, do próprio grupo, que faz bancos.

A Chery e a JAC já iniciaram negociações para formar o parque de fornecedores que terão ao redor de suas instalações e devem trazer alguns parceiros com quem atuam na China. A Chery, que deve iniciar operações em 2013, prevê entre 8 e 20 fabricantes de componentes e a JAC, cujo projeto é para 2014, não divulgou números.

A exemplo do que fez em Minas Gerais, a Fiat quer formar um parque em Goiana, onde terá sua segunda fábrica brasileira com início de operações em 2014. A empresa projeta ao menos 20 sistemistas em seu parque, empresas que adquirem peças de outras fabricantes e entregam kits completos diretamente na linha de montagem./ C.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.