Reuters
Reuters

Bomba em mesquita deixa ao menos 48 mortos no Paquistão

Templo islâmico estava lotado em dia sagrado de preces; estima-se que número de vítimas deve chegar a 70

Reuters e Efe

27 de março de 2009 | 07h52

A explosão de uma bomba destruiu uma mesquita no norte do Paquistão e deixou ao menos 48 pessoas mortas nesta sexta-feira, 27.  O atentado ocorreu em uma mesquita cheia de fiéis por causa do dia de oração muçulmano nas sextas-feiras na área de Jamrud, na província de Khyber, perto de um posto das forças de segurança, e não se descarta que o númerode vítimas possa aumentar.  

 

"Até agora contamos 48 corpos", disse o administrador da região de Khyber, Tariq Hayat Khan, a jornalistas. O número de mortes deve aumentar e pode a chegar a 70 pessoas, afirmou.  Cerca de 70 pessoas feridas foram levadas a hospitais, segundo Khan.

"Foi um ataque suicida. O homem-bomba estava na mesquita. É um prédio de dois andares e desabou", afirmou. 

Segundo o chefe administrativo de Khyber, citado também por outras televisões paquistanesas, o suicida entrou na mesquita e, no momento do atentado, cerca de 250 pessoas estavam dentro do local,

já que a oração acabava de começar.

 

Entre os mortos, há 15 membros da Administração civil, assim como guardas de segurança, segundo uma fonte oficial citada pela televisão "Dawn", que acrescentou que, na mesquita, havia também membros das forças paramilitares paquistanesas.  Quinze ambulâncias foram ao local do atentado, segundo uma fonte policial citada pelo canal "Express TV".

 

 O presidente paquistanês, Asif Ali Zardari, e o primeiro-ministro, Yousef Raza Gillani, já condenaram o ataque.

 

  Pela estratégica passagem de Khyber, que liga o Paquistão com o Afeganistão, circulam diariamente centenas de caminhões com combustível e mantimentos para as forças estrangeiras destacadas no

Afeganistão, que foram atacados repetidamente pela insurgência do Taleban. Na área, acontecem também frequentes choques sectários entre fiéis sunitas e xiitas.

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOCORPOSMESQUITA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.