Hazir Reka/Reuters
Hazir Reka/Reuters

Confrontos na fronteira entre Kosovo e Sérvia deixam 16 feridos

Hostilidades voltam a ocorrer na região após manifestação e remoção de barricada em estrada

Agência Estado

27 de setembro de 2011 | 17h23

MITROVICA - Ao menos 16 servos-kosovares e quatro soldados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) ficaram feridos nesta terça-feira, 27, em confrontos ocorridos na fronteira entre a Sérvia e o Kosovo, informaram autoridades locais e fontes da aliança militar.

 

Segundo testemunhas, os soldados da missão de paz da Otan na região dispararam balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo para dispersar um grupo que se manifestava contra a remoção de uma barricada em uma pequena estrada a cerca de 150 metros de um posto fronteiriço ligando os dois países.

 

Kai Gudenoge, porta-voz da Otan, afirmou que quatro soldados ficaram feridos por bombas caseiras atiradas pelos manifestantes. "Quatro militares se feriram. Três tiveram ferimentos leves, enquanto o quarto, que sofreu lesões graves, será retirado do local", confirmou. A aliança afirmou que seus comandados dispararam para se defender depois que os kosovares abriram fogo contra o posto de controle.

 

Milan Jakovljevic, chefe de um hospital local, afirmou que ao menos seis homens chegaram ao complexo médico com sérios ferimentos causados por balas, e não por munição de borracha. Ainda segundo ele, outras dez pessoas tiveram ferimentos leves.

 

O governo de Kosovo quer reforçar sua presença na fronteira norte do país, onde estão os limites com a Sérvia. Kosovo, que é habitado majoritariamente por albaneses, msa também abriga servos, declarou sua independência da Sérvia há três anos e desde então tem vivido momentos de tensão na região fronteiriça.

 

A Sérvia se opõe à declaração de independência kosovar e afirma que caso o governo vizinho de Pristina tente tomar o controle do posto de fronteira, haverá mais confrontos.

 

A disputa pelo controle e a posse dos cruzamentos e postos fronteiriços tem se intensificado nos últimos meses entre moradores sérvios, de um lado, e policiais kosovares albaneses e soldados da Otan de outro. A Otan tem atualmente 5.500 soldados no Kosovo, que também conta com uma força policial e militar europeia de 3.000 soldados e agentes.

 

A tensão nesta terça-feira começou após soldados alemães e americanos da Otan terem fechado um cruzamento com a Sérvia, usado por sérvios étnicos para ir e voltar da Sérvia sem passar pelos postos de controle em poder dos kosovares albaneses. Não houve nenhum comentário das autoridades kosovares. O presidente da Sérvia, Boris Tadic, pediu mais diálogo para que sejam evitados esses incidentes. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.