Justiça da Colômbia acusa 29 militares por 2 execuções

A Promotoria da Colômbia acusou 29 militares do país pela execução de dois homens falsamente identificados como guerrilheiros e mortos em combate há cinco anos, informaram hoje autoridades.

AE-AP, Agência Estado

15 de setembro de 2010 | 14h46

Em maio de 2005, em uma zona rural do município de La Paz, departamento (Estado) de Cesar, 645 quilômetros ao norte de Bogotá, tropas do Exército afirmaram ter matado Frank Enrique Martínez e Claudino Manuel Olmedo por eles serem rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

No entanto, "de acordo com o estabelecido pelo promotor instrutor, tanto Martínez como Olmedo eram moradores de Valledupar (capital de Cesar), não pertenciam às Farc e suas mortes não foram consequência de um enfrentamento com o Exército".

A decisão do promotor da Unidade de Direitos Humanos da promotoria afeta um oficial, dois suboficiais e 26 soldados supostamente responsáveis pelo homicídio com agravantes. O processo deve agora resultar em julgamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.