Haddad diz que Erundina seria 'um excelente nome' para sua vice

Pré-candidato petista foi de trem a Guaianazes, zona leste da capital, e se reuniu com lideranças

Ricardo Chapola, do estadão.com.br,

23 de abril de 2012 | 20h28

SÃO PAULO - O pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, já não esboçou resistência quanto às especulações de que a ex-prefeita Luiza Erundina (PSB) ocupe a vaga de vice na chapa. Ao contrário: o ex-ministro a definiu nesta segunda-feira, 23, em encontro com lideranças em Guaianazes como um "excelente nome no PSB".

"Não ouvi ainda nada sobre nomes. Não houve ainda essa oferta por parte do PSB. O PSB teria que colocar o nome excelente da prefeita. É um nome excelente do PSB", considerou Haddad, dando mostras de que a aliança com os socialistas está bem encaminhada.

Além de Erundina, outros nomes da sigla são ventilados nas conversas com o PT. O vereador Eliseu Gabriel aparece como possibilidade junto com o reitor da Uninove, professor Eduardo Storópoli.

Igreja. Haddad esteve em Guaianazes, zona leste da capital, em uma reunião com a militância e com lideranças da região, entre elas religiosas. Ainda na manhã desta segunda, o petista disse ter focado sua agenda em reunião com líderes católicos e evangélicos.

Segundo ele, muitas lideranças se sentem usadas na atual gestão e não querem mais fazer parte de um "jogo menor".

A plenária foi realizada no galpão de uma igreja evangélica, 'Comunidade A Palavra de Deus' - uma igreja missionária. Compareceram vereadores locais, entre eles o deputado estadual Luiz Moura.

Antes da reunião, Haddad conversou com o pastor da igreja, Marçal Borges, depois de ter sido questionado sobre o kit anti-homofobia.

Segundo o pastor, o tema era determinante para que a comunidade apoiasse o petista. "Ele (Haddad) disse que a Dilma entendeu que não era hora de soltar aquilo (o kit)." Em seguida, o pastor garantiu o apoio da sua igreja a Fernando Haddad.

Metrô. O pré-candidato petista chegou à região de Guaianazes de trem, segundo ele, "para verificar as condições do transporte público da região". Haddad admitiu dificuldades em chegar ao bairro. "Foi difícil chegar. Estava muito cheio", disse.

Antes, o petista fez uma parada em Itaquera, na zona leste, onde chegou de metrô.

Tudo o que sabemos sobre:
Fernando HaddadLuiza Erundina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.