PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Notícias e artigos do mundo do Direito: a rotina da Polícia, Ministério Público e Tribunais

Gonet denuncia Pâmela Bório por 8 de janeiro

Ex-primeira-dama da Paraíba publicou vídeos em meio à depredação no Congresso e confirmou aos investigadores ter participado da invasão; Estadão busca contato com a defesa

PUBLICIDADE

Foto do author Pepita Ortega
Atualização:
Pâmela Bório Foto: REPRODUÇÃO / REDES SOCIAIS

O procurador-geral da República Paulo Gonet denunciou a ex-primeira-dama da Paraíba Pâmela Bório por “ativa participação” nos atos golpistas de 8 de janeiro. Ela publicou vídeos em meio à invasão e depredação no Congresso e confirmou aos investigadores ter participado da intentona antidemocrática. A reportagem do Estadão busca contato com a defesa.

PUBLICIDADE

Pamela - que foi casada com o ex-governador Ricardo Coutinho (PT) - é acusada de associação criminosa armada, tentativa de abolição violenta do Democrático de Direito, golpe de Estado, dano qualificado pela violência e grave ameaça contra o patrimônio da União, ‘com considerável prejuízo para a vítima e deterioração de patrimônio tombado’.

Segundo Gonet, a ex-primeira-dama da Paraíba “permaneceu unida subjetivamente aos integrantes do grupo e participou da ação criminosa que invadiu as sedes do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal e quebrou vidros, cadeiras, painéis, mesas, móveis históricos e outros bens que ali estavam”.

A acusada foi identificada a partir de uma notícia-crime na qual o PSOL encaminhou capturas de tela de stories publicados no Instagram de Pamela. Em termo de declarações, ela indicou ser suplente de deputado federal e confirmou sua presença nos atos golpistas. Segundo imagens analisadas pela PGR, ela participou da investida antidemocrática junto de sua filha menor de idade.

“É incontroversa, portanto, a presença da denunciada nos atos antidemocráticos de 8.1.2023, no momento em que ocorria a invasão e depredação dos espaços públicos. Demonstrada, portanto, a ativa participação de Pâmela Monique Cardoso Bório nos atos antidemocráticos”, concluiu Gonet.

Publicidade

COM A PALAVRA, PÂMELA BÓRIO

A reportagem do Estadão busca contato com a defesa da ex-primeira-dama da Paraíba. O espaço está aberto para manifestação (pepita.ortega@estadao.com)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.