PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Notícias e artigos do mundo do Direito: a rotina da Polícia, Ministério Público e Tribunais

Janot aponta 'vínculos pessoais' entre Gilmar e 'rei do ônibus'

Ao pedir suspeição do ministro do Supremo Tribunal Federal, procurador-geral da República sustenta 'incompatibilidade' do magistrado para atuar em habeas corpus de empresário alvo da Operação Ponto Final

PUBLICIDADE

Foto do author Beatriz Bulla
Por Beatriz Bulla, Rafael Moraes Moura, de Brasília e e Luiz Vassallo
Atualização:

Gilmar Mendes e Rodrigo Janot. Fotos: Carlos Humberto / STF e André Dusek / Estadão Foto: Estadão

Ao pedir a suspeição de Gilmar Mendes no âmbito de dois habeas corpus envolvendo alvos da Operação Ponto Final, braço da Lava jato no Rio, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, argumentou que há entre o ministro e o 'rei do ônibus', Jacob Barata Filho, 'vínculos pessoais que impedem o ministro Gilmar Mendes de exercer com a mínima isenção suas funções no processo'.

Documento

JANOT VS GILMAR I

PUBLICIDADE

Documento

JANOT VS GILMAR II

O empresário Jacob Barata Filho e o ex-presidente da Fetranspor Lélis Teixeira deixaram na manhã deste sábado, 19, o presídio de Benfica. O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes estendeu neste sábado, 19, o habeas corpus concedido ao empresário Jacob Barata Filho, o 'rei do ônibus', a outros quatro presos na Operação Ponto Final, desdobramento da Lava Jato no Rio.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, suscitou à presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, duas arguições de impedimento, suspeição e incompatibilidade do ministro Gilmar Mendes, relator dos Habeas Corpus (HC) 146.666/RJ e 146.813/RJ, respectivamente dos empresários Jacob Barata Filho e Lélis Marcos Teixeira. As petições foram encaminhadas nesta segunda-feira (21), a pedido dos procuradores da República da força-tarefa da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro.

"Com efeito, há entre o magistrado e o paciente vínculos pessoais que impedem o Ministro Gilmar Mendes de exercer com a mínima isenção suas funções no processo", sustenta Janot.

COM A PALAVRA, GILMAR

O ministro Gilmar Mendes disse que 'as regras de impedimento e suspeição às quais os magistrados estão submetidos estão previstas no artigo 252 do Código de Processo Penal, cujos requisitos não estão preenchidos no caso."

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.