PUBLICIDADE

Agência do governo Lula apaga homenagem com ilustração de astronauta negra após críticas

Agência Espacial Brasileira homenageou primeira mulher a ir ao espaço, Valentina Tereshkova, que é branca, com ilustração de astronauta negra

PUBLICIDADE

Foto do author Juliano  Galisi

A Agência Espacial Brasileira (AEB), autarquia do governo federal vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, apagou de seus perfis institucionais uma montagem publicada no domingo, 16 de junho. Nesta data, foi celebrado o aniversário da ida de Valentina Tereshkova ao espaço. Neste dia, em 1963, a soviética se tornou a primeira mulher a completar uma missão espacial.

Para celebrar a data, a AEB publicou uma montagem com a ilustração de uma astronauta negra. Tereshkova, porém, era branca.

À direita, montagem publicada nos perfis da Agência Espacial Brasileira (AEB) em tributo à cosmonauta soviética, à esquerda Foto: @SpaceToday1 via X

A contradição ganhou amplitude com uma publicação do geofísico e divulgador científico Sérgio Sacani, replicada nesta sexta-feira, 21, pelo senador Ciro Nogueira (PP-PI), ex-ministro-chefe da Casa Civil do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). “Fechem a boca e ouçam a ciência! Além de negacionismo, é proliferação de fake news”, escreveu o ex-ministro no X (antigo Twitter).

PUBLICIDADE

Sacani produz conteúdo de divulgação científica e é conhecido por internautas como “Serjão dos Foguetes”. O geofísico criticou o governo Lula pelo tributo a Tereshkova com a ilustração de uma astronauta negra. “O governo brasileiro resolveu fazer uma homenagem e aprontou isso aí”, criticou o influenciador.

Com as críticas, a AEB retirou a publicação do ar e, em nota, esclareceu que “o objetivo da imagem não era retratar Valentina Tereshkova”. “A intenção da imagem escolhida foi simbolizar o futuro, já que o programa Artemis pretende levar a primeira pessoa negra à Lua”, disse a autarquia do governo federal, aludindo a uma iniciativa da Nasa, a Agência Aeroespacial dos Estados Unidos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.