PUBLICIDADE

Temer vai a SP amanhã para retorno médico e deve se encontrar com advogado

Presidente irá se encontrar com urologista Miguel Srougi e com seu advogado Antonio Claudio Mariz

PUBLICIDADE

O presidente Michel Temer embarca amanhã para a capital paulista para uma consulta de retorno com o seu urologista Miguel Srougi para uma reavaliação de seu quadro clínico depois de ser submetido a uma cirurgia para desobstrução do canal urinário e uso de sonda por algumas semanas. Segundo auxiliares, o presidente não irá ao Hospital Sírio Libanês, onde foi operado, e sim no consultório particular de Srougi.  A previsão é que Temer embarque para São Paulo no início da tarde e possivelmente fique pelo menos até sexta-feira na capital paulista.  +++ Temer bate recorde em edição de MPs Apesar de comum para um paciente de 77 anos, o problema urológico do presidente foi agravado por desobediência médica, ressaltam auxiliares. Temer, que deveria manter um período de descanso, retomou a agenda intensa logo depois da cirurgia e inclusive em dezembro, quando estava fazendo o uso da sonda, fez uma viagem para o Rio, sentiu um mal-estar e logo depois chegou a ter um quadro de infecção. 

Presidente Michel Temer deve ficar em São Paulo até a próxima sexta-feira Foto: André Dusek/Estadão

Agora, Temer tem tentando diminuir o ritmo de trabalho e despachado parte do dia noPalácio do Jaburu. Segundo auxiliares, essa indicação médica de desacelerar o trabalho deve ser mantida pelo menos até o fim do mês, a não ser que o médico do presidente faça novas recomendações. 

PUBLICIDADE

Advogado.

Além de compromissos médicos, o presidente terá também o quePlanalto chama de “agenda privada”. Segundo fontes, entretanto, Temer deve se encontrar com o seu advogado Antonio Claudio Mariz, que está com a responsabilidade de responder as perguntas feitas ao presidente pela Polícia Federal no âmbito do processo que apura suposto pagamento de propina da empresa Rodrimar para Temer. As perguntas foram enviadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para o Palácio do Planalto, na quarta-feira passada (3), e representam o interrogatório do presidente que será anexado a investigação aberta após solicitação do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.