PUBLICIDADE

Nas federais, 3 estudantes em cada 10 já procuraram psicólogo

Estudo aponta que as mulheres procuraram mais o serviço do que os homens – 33,8% disseram ter buscado atendimento psicológico, ante 26,69% no público masculino; 8,9% já tomaram alguma medicação psiquiátrica

PUBLICIDADE

Três em cada dez estudantes de universidades federais brasileiras (30,45%) já buscaram atendimento psicológico ao menos uma vez na vida. Desses, 6,86% frequentaram o serviço nos últimos 12 meses e 4,73% estão sob acompanhamento. 

PUBLICIDADE

Os dados são de um amplo levantamento divulgado em 2016 pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), feito por meio de entrevistas e questionários com 939,6 mil alunos de todo o País.

O estudo aponta que as mulheres procuraram mais o serviço do que os homens – 33,8% disseram ter buscado atendimento psicológico, ante 26,69% no público masculino. O levantamento apontou ainda que 8,9% já tomaram alguma medicação psiquiátrica. 

A busca por tratamento pode evitar que o aluno abandone o curso. É o que aponta outro estudo, também de 2016, da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que analisou o perfil de 1.237 pacientes que passaram pelo atendimento psicológico e psiquiátrico para alunos da instituição, o Sappe. 

“Já sabíamos que transtornos mentais têm impacto negativo no desempenho acadêmico. Mas agora identificamos que, embora o aluno que busca ajuda demore mais para concluir o curso, as chances de evasão são menores até mesmo em relação à população em geral”, diz a coordenadora do serviço, Tania Maron, que também foi co-orientadora do estudo.

A taxa de conclusão de curso foi maior entre os atendidos (67,3%, ante 59,9%), com menor evasão. Já o coeficiente médio de rendimento (CR) foi considerado inferior. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.