1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine

Após tomar fortaleza rebelde, Ucrânia diz que forças vão avançar

NATALIA ZINETS - REUTERS

06 Julho 2014 | 12h 30

O governo da Ucrânia disse que vai capturar rapidamente mais territórios rebeldes depois de retomar a fortaleza separatista de Slaviansk, no que o presidente Petro Poroshenko chamou de momento decisivo na luta pelo controle do leste do país.

As tropas do governo expulsaram os rebeldes pró-Rússia da importante cidade no leste da Ucrânia no sábado e hastearam a bandeira azul e amarela novamente no que durante quatro meses foi um reduto separatista.

Neste domingo, as tropas ucranianas bombardearam partes de Luhansk, cidade controlada pelos rebeldes perto da fronteira com a Rússia, atingindo uma fábrica de baterias e outros edifícios, informou a agência de notícias russa Itar-Tass, citando rebeldes da cidade.

Segundo a agência, algumas pessoas estavam feridas, mas não houve mais informações sobre vítimas. “As pessoas estão fugindo apressadamente para abrigos anti-bombas ou estão deixando a região que está sendo bombardeada,” informou a agência de notícias.

“Minha ordem já está em vigor – apertem o cerco aos terroristas,” publicou Poroshenko em sua página no Twitter neste domingo.

“Continuem a operação para libertar as regiões de Donetsk e Luhansk”, acrescentou, citando as duas maiores partes ao leste da Ucrânia que têm sido agitadas pela rebelião separatista desde abril.

Em nota, o ministro do interior de Poroshensko, Arsen Avakov disse: “Temos um plano de ação... Vamos seguir em frente todos os dias”.

Não há informações suficientes sobre as baixas causadas pela ofensiva do governo em Slaviansk, que aconteceu depois que Poroshenko se recusou a renovar um cessar-fogo unilateral e ordenou a retomada de uma ofensiva do governo, em 30 de junho.

As tropas ucranianas disseram que agora detêm o controle total de Slaviansk e da cidade vizinha de Kramatorsk. Muitos rebeldes parecem ter recuado para Donetsk, o principal centro industrial do leste, primeiro lugar que os separatistas declararam uma “república popular”.

Rebeldes armados patrulhavam uma das principais ruas de Donetsk, no domingo, segundo a agência de notícias local, Novosti Donbass.