Ron Johnson deixa presidência da J.C. Penney; Mike Ullman retorna

O presidente-executivo da J.C. Penney, Ron Johnson, deixará a companhia depois que as vendas caíram 25 por cento no ano passado, e a rede de lojas de departamento disse que irá substituí-lo por seu predecessor Mike Ullman.

Reuters

08 de abril de 2013 | 20h59

Durante meses circularam rumores sobre a saída de Johnson, mas o retorno de Ullman foi recebido com choque, considerando que ele fora publicamente condenado pelo maior acionista da Penney, o gestor de hedge funds Bill Ackman.

Em uma apresentação em maio de 2012, a Pershing Square, de Ackman, citou a companhia como "cronicamente mal gerida" nos últimos anos.

Mas em comunicado nesta segunda-feira, o presidente do Conselho de Administração da Penney, Thomas Engibous, disse que Ullman esta "bem posicionado para analisar rapidamente a situação (que a Penney) enfrenta para tomar os passos para melhorar o desempenho da companhia".

Johnson ficou na mira dos investidores depois que as vendas recuaram 25 por cento durante o primeiro ano de seu plano para reinventar a rede de lojas de departamento.

(Por Ben Berkowitz e Phil Wahba)

Tudo o que sabemos sobre:
CONSUMOJCPENNEYCEO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.