Conteúdo Patrocinado

Evento da EY homenageia empreendedores que provocaram impacto econômico e social

A 26ª edição do Empreendedor do Ano consagrou líderes em seis categorias, reconhecendo contribuições para o desenvolvimento do País

Por EY; Estadão Blue Studio
6 min de leitura

O programa Empreendedor do Ano Brasil, promovido pela EY, uma das maiores empresas de consultoria e auditoria do mundo, celebrou a sua 26ª edição na última quarta-feira (22), em uma cerimônia que homenageou empreendedores de destaque em seis categorias, sendo uma delas a novidade desta premiação, a Lifetime Achievement, que reconheceu o trabalho de Elie Horn, do Grupo Cyrela.

Novidade na edição, o prêmio Lifetime Achievement reconheceu o trabalho de Elie Horn, do Grupo Cyrela Foto: Fernando Roberto/Estadão Blue Studio

Leia também

A nova categoria é destinada a empreendedores com uma longa trajetória e que tenham contribuído para o desenvolvimento econômico e social do país. Elie Horn, o homenageado, é fundador do Grupo Cyrela. Ele se destaca como o primeiro e único brasileiro no The Giving Pledge, organização filantrópica fundada em 2010 por Bill Gates, Melinda Gates e Warren Buffett, na qual já destinou 60% de sua fortuna. Ele lançou o Instituto Cyrela, para atender comunidades nos arredores dos empreendimentos do Grupo, e fundou o Instituto Liberta, uma organização dedicada a combater a exploração sexual infantil, e do Movimento Bem Maior, projeto focado em ampliar ações sociais e promover o bem.

“A persistência é a maior qualidade que se pode ter. Se você ligar a persistência ao bem, não tem como fracassar. Todos têm de trabalhar para fazer o bem. Essa é a minha missão”, afirmou Horn.

O Empreendedor do Ano, realizado pela EY desde 1998 no Brasil, visa reconhecer empreendedores que se destacam pela liderança e contribuição para o ecossistema de negócios do País. “O propósito e o impacto do empreendedorismo são pilares do prêmio. Vivemos um momento de grandes transformações no mundo e no Brasil, e o empreendedorismo tem o papel de criar e distribuir valor”, destacou o CEO da EY no Brasil, Luiz Sérgio Vieira.

Na categoria Master, dedicada a fundadores e empreendedores de companhias maduras e líderes em seus respectivos mercados, Antonio Soares, CEO da Dock, que busca democratizar o acesso a serviços financeiros, foi escolhido entre os representantes de quatro empresas homenageadas.

Antonio Soares, CEO da Dock, foi o escolhido da categoria Master Foto: Fernando Roberto/Estadão Blue Stud

“No mundo de hoje, os serviços financeiros são tão importantes quanto saúde e educação para você estar incluso. O empreendedor precisa de crédito, com a inclusão financeira vindo por meio dos serviços de pagamento. O prêmio dá energia para fazer ainda mais”, disse Soares.

A categoria Family Enterprise, voltada a empresas de controle familiar, homenageou Amanda Klabin, presidente do Conselho de Administração da empresa de papel e celulose. “O prêmio é o reconhecimento de um trabalho geracional importante, com foco no resultado e na sustentabilidade”, afirmou.

Tânia Cosentino, presidente da Microsoft Brasil desde 2019, foi homenageada na categoria Executivo Empreendedor, destinada a profissionais que impulsionaram a transformação de empresas consagradas. “O conceito de gerar impacto por meio do trabalho é muito importante. Compartilhar boas práticas das empresas é um reforço de positividade para a sociedade”, avaliou.

Na categoria Emerging, que destaca empreendedores à frente de empresas com crescimento acelerado, Raul Matos, CEO e fundador da Biscoitê, foi o homenageado entre as lideranças de sete companhias. “Esse prêmio é uma responsabilidade para amplificar meu exemplo, que vim da periferia de São Bernardo do Campo. Os empreendedores transformam de bairros a países. Quanto mais gente empreendendo, mais transformação acontece”, comentou.

A categoria Impacto, focada em empreendedores e fundadores de empresas que respondem aos desafios socioambientais, teve como representantes Eimi Arikawa e Osmar Bambini, cofundadores da umgrauemeio, empresa que desenvolve tecnologias para gestão de incêndios florestais. “Temos um impacto para fora das ações da nossa empresa, mas também temos um olhar para dentro. Buscamos ser coerentes com o que falamos e no que somos”, afirmou Bambini.

Globalmente, o programa Empreendedor do Ano foi criado em 1986 para homenagear líderes empresariais de diferentes setores. O representante da categoria Master, Soares, da Dock, será o nome do Brasil na cerimônia do EY World Entrepreneur Of The Year, a etapa global do programa, em Mônaco, que será em junho de 2024.

“O prêmio ajuda a reconhecer o empreendedorismo brasileiro, com a sua resiliência e coragem. Contar essas histórias não é só reconhecê-los, mas também motivar a próxima geração de empreendedores”, comenta Raquel Teixeira, sócia-líder da EY Private para América Latina e líder dos programas Winning Women e Empreendedor do Ano.

As inscrições para a 27ª edição do Empreendedor do Ano já estão abertas pelo site da EY

Confira os homenageados de cada categoria

MASTER:

  • Antonio Soares (Dock)
  • Domingues e Talita Santos (GTEX)
  • Jan Krueder (Química Anastacio)
  • Marco Billi (Eurofarma)

EMERGING:

  • André Florence (Alice)
  • Carolina Kia, Maurício Bueno e Wagner Foschini (weme)
  • Christian de Cico, Daniel Paschino e Isis Abbud (Arquivei)
  • Eduardo del Giglio (Caju)
  • Fábio Câmara (FCamara)
  • Raul Matos (Biscoitê)
  • Thomas Gautier (Freto)

IMPACTO:

  • Arthur Covatti (DEEP)
  • Eimi Arikawa e Osmar Bambini (umgrauemeio)
  • Gustavo Fuga (vc_tb, antes 4YOU2)
  • Raquel Cardamone (Bright Cities)
  • Thiago Carvalho Pinto (eureciclo)
  • Wellington Vitorino (Instituto Four)

EXECUTIVO EMPREENDEDOR:

  • Tânia Cosentino (Microsoft Brasil)

FAMILY ENTERPRISE:

  • Amanda Klabin (Klabin)

LIFETIME ACHIEVEMENT:

  • Elie Horn (Grupo Cyrela)