Conteúdo Patrocinado

Mondelez cria programa de desenvolvimento de habilidades em projetos de curto prazo

Bom para todos, projeto-piloto chamado Match & Grow oferece a possibilidade de trabalhar com um público diverso, com um modelo mental diferente e algumas vezes, com idioma diferente

PUBLICIDADE

Por Leandro Soares*, Mondelez/Estadão Blue Studio
Atualização:
3 min de leitura

Em 2022, a Mondelez Internacional criou um projeto-piloto chamado Match & Grow em algumas funções das Unidades de Negócio do Brasil e do México, mas que hoje já está rodando em todas as operações no mundo. Seu objetivo é permitir que gig hosts (líderes donos de projetos) acessem habilidades de gig seekers (colaboradores de fora de sua equipe imediata), gerenciando experiências ou projetos de curto prazo (gigs).

E o que o gig seeker ganha com essa parceria? Ele desenvolve habilidades trabalhando fora de sua área de atuação, além de aumentar seu networking em sua operação ou até mesmo em operações da companhia em outro país.

Leia também

Os hosts e seekers se encontram por meio da plataforma Workday que, entre outras funções, o colaborador pode indicar suas fortalezas, habilidades bem desenvolvidas com as quais você quer contribuir e as habilidades que quer desenvolver.

Continua após a publicidade

Quando um host publica seu projeto e informa objetivos, prazo e as habilidades a serem desenvolvidas, o sistema faz uma busca nas informações de colaboradores de todas as operações da Mondelez Internacional no mundo e dá um “match” automático das habilidades solicitadas com as indicadas pelos usuários, como nos aplicativos de relacionamento, mas organizacional.

O seeker também pode fazer uma busca ativa no sistema na busca por um projeto de interesse por meio de filtros (gestor, região, temas, formato – presencial, remoto ou híbrido ou habilidades a serem desenvolvidas). Se selecionado, ele tem acesso a mais informações para ajudá-lo a decidir se o projeto se encaixa nas necessidades de seu plano de desenvolvimento.

Leandro Soares, Gerente de Educação da Mondelez Brasil Foto: Divulgação/Mondelez

Continua após a publicidade

Bom para todos

É uma relação ganha-ganha, pois o host se tem a possibilidade de trabalhar com um público diverso, com um modelo mental diferente, muitas vezes de maneira remota e, algumas vezes, com idioma diferente. É oferecer para a liderança uma oportunidade de destravar suas demandas de forma ágil, diversa e assertiva.

Já para o seeker é uma oportunidade para se desenvolver, sem precisar mudar de função ou localidade, facilitando o processo conhecido como networking, ampliando sua rede de influência e conhecimento na organização. Ele pode participar de projetos da empresa e conseguir desenvolver suas habilidades de maneira formal e estruturada, contribuindo para a aceleração de sua carreira.

Continua após a publicidade

Já a empresa ganha, pois consegue avançar em suas estratégias, permitindo uma exposição positiva de gestores e colaboradores que ampliam seu networking internamente e em outras operações, trazem diversidade para as tomadas de decisão e desenvolvem competências necessárias para alavancar sua carreira. Ao todo, mais de 500 habilidades estão mapeadas no sistema.

Na prática

Implantado há oito meses no Brasil, já tivemos brasileiros que participaram de projetos de cross functionals (equipe multidisciplinar) no exterior, sem precisar deixarem suas “cadeiras” aqui no Brasil para terem novas experiências.

Continua após a publicidade

Hoje, temos 16 gigs abertos no País, com oportunidades para 31 gig seekers – sete deles em projetos globais ou regionais (América Latina). Além deles, dois gigs já foram finalizados, com mais 18 seekers participantes.

Resultados

Um dos projetos já finalizados foi conduzido na área de benefícios da Mondelez Brasil, sendo focado na simplificação do processo relacionado ao auxílio creche. O que antes era um processo trabalhoso e totalmente operacional, agora demanda menos 16 horas por mês do time e gera menos 250 tickets abertos no período. A iniciativa deu tão certo que está sendo “exportada” para toda a América Latina.

Continua após a publicidade

* Gerente de Educação da Mondelez Brasil

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.