Conteúdo Patrocinado

Cursos técnicos ajudam a formar profissionais para a nova realidade do mercado

Especialista do Senac destaca a importância de uma qualificação profissional que prepare para as demandas atuais e futuras do mundo do trabalho

PUBLICIDADE

Por Senac e Estadão Blue Studio
Atualização:
3 min de leitura

O mundo do trabalho passa por profundas transformações com impactos sobre os empregos e as formas de ocupação laboral. Há mudanças relevantes nas demandas das empresas, que requerem maior capacitação dos trabalhadores e desenvolvimento das chamadas soft skills, e também dos profissionais que buscam maior qualificação para se adaptarem a este novo contexto, que pode incluir uma atuação como autônomo. Dentro desta realidade, destaca a especialista em Educação do Senac São Paulo, Ana Luiza Marino Kuller, a formação técnica tem papel determinante.

“O curso técnico, inserido em um sistema de educação que precisa acompanhar as novas demandas do mercado e dos profissionais, tem um papel importante nesse processo. Faz a transição do jovem para o mundo do trabalho de forma mais qualificada e também atende quem já está no mercado e busca uma nova carreira ou incrementar seu currículo”, comenta Ana Luiza, lembrando que por muito tempo houve preconceito em relação a cursos técnicos e profissionalizantes.

“No passado, havia uma visão equivocada de que formação técnica era algo menor, menos valorizada pelas empresas e profissionais até pelo baixo investimento feito na área, o que vem mudando com o próprio movimento do mercado e também com valorização de políticas públicas e investimentos federais e até mesmo antes, com a criação do Senac”, explica a especialista.

Continua após a publicidade

Entre as contribuições importantes de uma formação técnica de qualidade, acrescenta a especialista, está o desenvolvimento das soft skills, habilidades comportamentais cada vez mais valorizadas no mundo do trabalho como trabalhar em equipe, resolver problemas, aprender a aprender e ter pensamento crítico. “O Senac tem como um compromisso contribuir para a formação profissional de pessoas com capacidade crítica dentro deste novo cenário. É importante trabalhar a formação profissional como um espaço de emancipação para que esses profissionais não se sujeitem a condições inadequadas de trabalho e para que ela possa se manter apta à nova realidade do mercado, assim como promover transformações necessárias”, comenta a especialista, acrescentando que o curso técnico pode ser um ponto de partida para a qualificação do jovem assim como um momento de passagem para alguém se requalificando.

Dados sobre o perfil de quem procura os cursos técnicos do Senac, que está com as inscrições abertas para o Programa Senac de Gratuidade (PSG) e desde 2009 concede bolsas de estudo 100% integrais, confirmam esta realidade. Profissionais com graduação já representam 30% dos candidatos aos cursos, enquanto 56% têm ensino médio. A faixa etária também é cada vez diversa, com 27% entre 18 e 24 anos; 31%, de 25 a 34 anos; e com 21% de candidatos acima de 45 anos. No item ocupação, embora a maioria (56%) seja candidatos desempregados, há um porcentual relevante de profissionais que estão trabalhando e buscam novas habilidades ou mesmo uma transição de carreira, com 35% do total.

Mudar de profissão foi o que levou Gustavo Souza Zivkov (24 anos) a se inscrever no programa de gratuidade do Senac, na unidade de São Miguel Paulista, zona leste de São Paulo. “Na época estava desempregado e queria buscar uma nova profissão. Fiz o curso de massoterapia em 2021 porque sempre quis atuar na área de saúde de forma holística e foi o transformador da minha realidade”, comenta Gustavo que tentou duas vezes a bolsa do PSG. Nas duas ocasiões, o profissional ficou na fila de espera aguardando a bolsa e na segunda vez foi chamado. “Eu insisti porque queria fazer o curso em uma instituição reconhecida, um local de referência como o Senac. No primeiro ano, já comecei a atender em casa, divulgando entre amigos, e hoje divido um espaço na Vila Mariana”, comenta Gustavo, que vive da massoterapia.

Continua após a publicidade

Desde que foi criado, o PSG já atendeu mais de 1 milhão e 250 mil pessoas. Este ano, a expectativa do Senac é ofertar mais de 180 mil vagas nos cursos por meio do programa. São centenas de títulos de cursos livres e técnicos como beleza e estética; comunicação e marketing; design; educação; gestão e negócios; moda; saúde, tecnologia da informação, e turismo e hospitalidade, entre outros. As bolsas oferecidas pelo Senac São Paulo são integrais e incluem os materiais didáticos dos cursos.

Senac São Paulo oferta 180 mil bolsas de estudo

Quem tem interesse em realizar um curso técnico em uma instituição de referência como o Senac tem a opção de se candidatar ao Programa Senac de Gratuidade (PSG) que está com inscrições abertas. O programa oferece 100% de bolsa para cursos profissionalizantes, em diversas áreas do conhecimento como Beleza e Estética, Comunicação e Marketing, Desenvolvimento Social, Design, Educação, Gastronomia e Alimentação, Gestão e Negócios, entre outras.

Continua após a publicidade

As vagas estão sendo distribuídas entre as 63 unidades no Estado de São Paulo ao longo do ano e contemplam cursos livres (curta duração) e técnicos, presencial e EAD. Só na modalidade a distância, o Senac EAD disponibilizará cerca de 12 mil até o fim deste ano.

Cada unidade do Senac oferece uma programação com títulos específicos de cursos livres e técnicos. Para participar, o estudante deve comprovar renda familiar mensal por pessoa de até dois salários mínimos federais, fazer a inscrição 20 dias antes do início do curso escolhido, pelo site do Programa Senac de Gratuidade. As inscrições são por ordem de chegada, em uma fila de espera virtual.

Além do Programa Senac de Gratuidade, também existem políticas de descontos, que vão de 20% a 50%, abrangendo outros níveis de ensino, como ensino médio técnico, ensino superior, cursos de idiomas, entre outros.