Conteúdo Patrocinado

O DNA italiano da Bontempo

Empresa brasileira carrega tradição e inovação entrelaçadas na produção de móveis de alto padrão

PUBLICIDADE

Por Bontempo e Estadão Blue Studio
4 min de leitura

A Bontempo, empresa brasileira especializada na produção de mobiliário sob medida de alto padrão, tem a Itália como fio condutor de sua história. Os primeiros imigrantes da família Stedile, o casal Angela e Thomaso, trouxeram da pequena Rovereto para a Serra Gaúcha, no ano de 1876, a expertise em produzir cadeiras artesanais, de palha e madeira. Hoje, a sexta geração, se inspira e traduz as tendências mundiais para a realidade brasileira.

Remy, pai de Rudi e Rosmar, fundadores da Bontempo, inaugura sua fábrica de cadeiras em São Marcos (RS) Foto: Acervo/Bontempo

A ligação com a Itália, com suas histórias e tradições, sempre foi forte na família e se intensificou em 1988, quando Rosmar Stedile, da quinta geração desses imigrantes, trouxe de Milão o conceito inovador do free-open. Eram móveis com abertura no sentido vertical, e não mais apenas no horizontal, fabricados no Brasil a partir da tecnologia italiana. A ideia revolucionou o setor e logo se transformou em seu principal produto.

Continua após a publicidade

Nessa trajetória, a Bontempo foi a primeira empresa brasileira de móveis personalizados convidada a expor na iSalone, o Salão Internacional do Móvel de Milão. No debut na maior feira de mobiliário italiana, em 2018, a marca apresentou a linha Pixel, que trazia um conceito moderno de mobiliário com estrutura de alumínio que possibilitava o encaixe de frente em diversos materiais, da madeira à pedra, do tecido ao vidro, além de ousar com as cores. As frentes poderiam ser trocadas conforme a preferência do cliente, permitindo renovar sempre o ambiente.

Rosmar e Rudimar Stedile, fundadores da Bontempo Foto: Gabriela Brochetto

Presente

Continua após a publicidade

“Nossa atualização é constante. Agora, por exemplo, confirmamos em Milão a tendência de utilizar muitos materiais diferentes, madeira, pedra ou tecido, de uma forma harmônica”, afirma Rafaela Stedile, gerente executiva da Bontempo, sobre sua experiência in loco no Salão Internacional do Móvel de Milão 2024, realizado neste último mês de abril. “A utilização de materiais naturais, como pedras, dos tons avermelhados, e o fato de trazer a natureza de forma orgânica são tendências expostas no iSalone”, acrescenta Rafaela.

A Bontempo segue focada nos conceitos de personalização de suas peças e de total autonomia de criação, independência que foi capaz de revolucionar o mercado moveleiro, com lançamentos exclusivos, sempre baseados em tecnologia de ponta. O parque fabril, em São Marcos (RS), conta com equipamentos de última geração para produzir diversas criações para o mercado mundial. São maquinários que permitem uma liberdade total de medidas, da variação milimétrica em altura, largura e profundidade.

Cadeira Adélia, parte da celebração de 40 anos da Bontempo, assinada por Bruno Faucz Foto: Divulgação/

Continua após a publicidade

E exemplos não faltam. Entre eles, estão a linha Avanti, de móveis editáveis em todas as dimensões, e o Molti Colori, com uma tabela abrangente de cores. É possível pintar os móveis em 1.950 tonalidades – toda semana, a Bontempo aplica em média 200 cores diferentes. Ou, ainda, a cadeira Adélia, nome em homenagem à matriarca da família, que alia o design retrô, que rememora o início da marca, produzida com tecnologia. Nessa linha histórica, a propósito, o nome Bontempo é uma homenagem ao pai dos fundadores, que fabricava móveis de jardim.

O próximo passo é a inauguração da Casa Bontempo, uma construção de 1.500 m², em região nobre de São Paulo, prevista para o segundo semestre deste ano. Será o primeiro espaço próprio da fábrica na cidade, que atua no sistema de franquias – atualmente são 55 licenciadas, 50 no Brasil e as demais nos Estados Unidos, nas cidades de Chicago, Fort Lauderdale e Miami, além do Uruguai e do Chile.

Casa Bontempo, projeto de 1.500 m² do escritório FGMF, prevista para inaugurar no segundo semestre deste ano Foto: Divulgação/Bontempo

Continua após a publicidade

Com projeto arquitetônico do escritório FGMF e paisagismo de Luiz Carlos Orsini, a proposta da Casa é ser um espaço físico que permita a autoexpressão e onde os visitantes possam usufruir das criações da Bontempo. “Não é um showroom tradicional, mas espaços onde as pessoas possam viver inúmeras experiências ao mesmo tempo que interagem com o nosso mobiliário”, explica Rafaela. Cada novo ambiente deve mostrar toda a capacidade de customização e de personalização dos projetos de móveis exclusivos.

Saiba mais sobre a Bontempo aqui.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.