1. Usuário
Geral
Assine o Estadão
assine


Ataque a grupo que assistia a jogo da Copa deixa ao menos 48 mortos no Quênia

REUTERS

16 Junho 2014 | 08h 22

Pelo menos 48 pessoas foram mortas quando homens armados em dois micro-ônibus passaram em alta velocidade por uma cidade costeira do Quênia, atirando contra torcedores de futebol reunidos para ver uma partida da Copa do Mundo na noite de domingo em um salão com TV. Eles atiraram também contra hotéis e um banco, disseram a polícia e uma testemunha nesta segunda-feira.

A polícia informou que muito provavelmente o ataque foi obra do grupo islamita Al Shabaab, da Somália. A cidade-alvo, Mpeketoni, fica no litoral no Oceano Índico ao norte de Mombasa, o principal porto do Quênia, situado perto da fonteira somali.

Nenhum grupo assumiu de imediato a responsabilidade pelo ataque, o último de uma onda de atentados a bomba e tiroteios nos últimos meses no Quênia, os quais vêm prejudicando o já abalado setor de turismo do país.

O governo do Quênia informou que estará em alerta durante a Copa do Mundo para garantir que os locais públicos de exibição dos jogos sejam seguros.

"Os atacantes eram tantos, e todos portavam armas. Eles entraram no salão da TV onde nós estávamos vendo um jogo da Copa do Mundo e atiraram indiscriminadamente em nós", contou Meshack Kimani à Reuters, por telefone, "Eles atiraram somente nos homens, mas eu tive sorte. Escapei me escondendo atrás da porta."

O ataque de domingo foi o pior desde a ofensiva de setembro contra o shopping center de Westgate, em Nairóbi, onde 67 pessoas morreram.

Depois da ação em Wesgate, o grupo Al Shabaab anunciou que lançaria mais ataques, dizendo estar determinado a expulsar as tropas quenianas da Somália. O Quênia, cujos soldados estão na Somália como parte de uma força de paz queniana que combate militantes islamitas, afirmou que não removerá suas tropas.