Fifa comemora ‘febre’ da Copa nos EUA e recordes de audiência na TV

A “febre” da Copa do Mundo que se alastra pelos Estados Unidos surpreendeu até a Fifa, que comemora recordes de audiência na TV em um mercado que há tempos tenta conquistar, disse o secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, nesta sexta-feira.

MIKE COLLETT, REUTERS

27 Junho 2014 | 17h44

“A audiência na TV em vários países está muito mais alta do que em 2010, não somente em países com tradição no futebol, mas também nos EUA, onde alcançamos um nível absolutamente incomum”, afirmou Valcke aos repórteres.

“A febre da Copa do Mundo no Estados Unidos é uma maravilha”.

Mais de 18,2 milhões de telespectadores norte-americanos viram o empate de 2 x 2 entre Estados Unidos e Portugal no domingo, a partida de futebol mais assistida na TV dos EUA em toda a história.

A Fifa afirmou que as cifras da audiência do confronto foram mais altas do que as de qualquer campeonato de basquete da NBA, e maiores que a média de audiência do campeonato de beisebol de 2013.

O presidente dos EUA, Barack Obama, foi fotografado assistindo ao jogo de quinta-feira entre seu país e a Alemanha a bordo do Air Force One, o avião presidencial, e celebridades como os cantores Rihanna e Justin Timberlake têm tuitado a respeito do Mundial no Brasil.

Os norte-americanos perderam de 1 x 0 para os alemães, mas se classificaram como segundo do grupo para as oitavas de final de terça-feira contra a Bélgica.

Os EUA sediaram a Copa de 1994 e tentaram sem sucesso receber o torneio de 2022, que foi concedido ao Qatar, mas o futebol ganhou terreno no país nos últimos 20 anos.

O país participa de sua sétima Copa consecutiva, histórico só superado por potências do esporte como o anfitrião Brasil, Alemanha, Itália, Argentina, Espanha e o peso-pesado asiático Coreia do Sul.

UMA DAS MELHORES

Valcke declarou aos repórteres que o alto índice de gols da primeira rodada do Mundial tornou esta Copa “uma das melhores de todos os tempos”.

“O nível e a qualidade do futebol que temos visto são incríveis, e tenho certeza de que continuará assim nos próximos jogos”.

As 48 partidas da fase de grupos renderam 136 gols, uma média de 2,83 gols por disputa, mais alta que qualquer Copa desde a de 1970 no México.

Mais de 2,5 milhões de pessoas assistiram aos jogos nos estádios até o momento.

((Tradução Redação Rio de Janeiro 55 21 22237149))REUTERS SPA

Mais conteúdo sobre:
COPA FIFA EUA FEBRE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.