Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Missa de 7º dia de Niemeyer reúne cerca de 100 pessoas

Cerimônia foi realizada na Igreja Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, no Rio de Janeiro

Clarissa Thomé/RIO,

11 Dezembro 2012 | 19h12

Cerca de cem pessoas compareceram à missa de sétimo dia do arquiteto Oscar Niemeyer, celebrada a partir das 18h30 desta terça-feira na Igreja Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro. O arquiteto morreu na noite da quarta-feira passada (05), aos 104 anos, em decorrência de infecção respiratória.

A cerimônia foi celebrada por padre Jorjão, que é amigo da família. Emocionada, a viúva Vera Lucia disse que os primeiros dias depois da morte do marido têm sido difíceis. "Penso muito nele, vejo as fotos, é muito doloroso. Sei que uma hora vai melhorar."

Além da viúva, estiveram na igreja netos, bisnetos, sobrinhos e amigos de Niemeyer, como o arquiteto Paulo Casé. "Aprendi muita coisa com ele. Oscar não tinha inimigos e envolvia os amigos num manto de condescendência", afirmou.

A Fundação Niemeyer, que detém os direitos sobre todas as obras do arquiteto, ainda não iniciou o inventário das obras em andamento. "Não começamos a mexer. Passamos por esses dias de homenagem e agora é que estamos nos preparando para a ficha cair", disse Ana Lucia Niemeyer, diretora executiva da fundação.

Mais conteúdo sobre:
Oscar Niemeyer missa arquitetura morte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.