PUBLICIDADE

Europa e Japão reagem a arroz transgênico dos EUA

O Greenpeace defendeu um "embargo global" contra este produto

PUBLICIDADE

Por Agencia Estado
Atualização:

A Comissão Européia (CE, órgão executivo da União Européia) pediu mais dados ao Governo dos Estados Unidos sobre o surgimento de um arroz geneticamente modificado não-autorizado para o consumo humano. A variedade foi detectada em meio a remessas de arroz de grão longo, prontos para comercialização. A descoberta foi comunicada na sexta-feira passada à CE pelo secretário do Departamento de Agricultura dos EUA, Mike Johanns, afirmou a Comissão Européia em comunicado. A variedade não autorizada é fabricada pela sociedade alemã Bayer CropScience e - segundo o governo dos EUA - seu aparecimento na carga de arroz pronto para o consumo não representa nenhum perigo para a saúde humana, nem para o meio ambiente. No entanto, o Japão suspendeu cautelarmente a importação de arroz procedente dos EUA, e a organização ecológica Greenpeace defendeu um "embargo global" contra este produto. Segundo a organização, esse arroz não tem autorização nem "para consumo, nem para cultivo em nenhum lugar do mundo". "Este último escândalo de contaminação mostra novamente que a indústria dos produtos geneticamente modificados é incapaz de controlá-los", afirmou o responsável da campanha do Greenpeace sobre os transgênicos, Jeremy Tager.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.