Lei para caminhões fecha 1.ª semana com 5.941 multas

CET teve apoio da PM para fiscalizar; no fim do mês também começa a vigorar rodízio para caminhões

PUBLICIDADE

Por Fabiana Marchezi
1 min de leitura

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) aplicou 5.941 multas na primeira semana da restrição de circulação dos caminhões na Zona de Máxima Restrição de Circulação (ZMRC). De acordo com a CET, no primeiro dia, em 30 de junho, foram emitidas 1.163 multas. Já no dia 5, o número despencou para 429 multas. Em operação com a Polícia Militar, ao menos cinco caminhões que apresentaram irregularidades foram guinchados neste mesmo período.   Veja também: Acompanhe a situação do trânsito rua-a-rua Entenda as novas medidas contra o trânsito  Conheça o histórico do trânsito na cidade    Ainda segundo a CET, a partir de 28 de julho, a prefeitura implantará o sistema de rodízio para caminhões nas vias que delimitam o centro expandido. Com isso, os caminhoneiros terão que respeitar o mesmo sistema, que concilia o dia da semana com o final do número da placa, implantado há 10 anos para os carros.   A partir desta data, os caminhões ficarão impedidos de circular no horário das 7 às 10 horas e das 17 às 20 horas nas seguintes vias:   - Marginal do Rio Tietê, entre a Avenida Salim Farah Maluf e Marginal do Rio Pinheiros; - Marginal do Rio Pinheiros, da Marginal do Rio Tietê até a Avenida dos Bandeirantes; - Avenida dos Bandeirantes (toda a extensão); - Avenida Afonso d'Escragnole Taunay (toda a extensão); - Complexo Viário Maria Maluf (toda a extensão); - Avenida Presidente Tancredo Neves (toda a extensão); - Rua das Juntas Provisórias (toda a extensão); - Viaduto Grande São Paulo (toda a extensão); - Avenida Professor Luís Ignácio de Anhaia Melo, entre o Viaduto Grande São Paulo e a Avenida Salim Farah Maluf; e - Avenida Salim Farah Maluf (toda a extensão).   A restrição não se aplica a caminhões do Corpo de Bombeiros, nem a guinchos, de produtos alimentares perecíveis, serviços públicos essenciais, correios e coleta de lixo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.