PUBLICIDADE

Missa em fazenda vai homenagear vítimas do acidente da Gol

Flores brancas serão jogadas em memória dos mortos do segundo maior acidente da aviação civil brasileira

PUBLICIDADE

Por Nelson Francisco
Atualização:

Uma missa em homenagem aos 154 passageiros e tripulantes mortos no acidente do Boeing da Gol, em 29 de setembro do 2006, será celebrada neste sábado, às 9 horas, na Fazenda Jarinã, em Peixoto de Azevedo. Familiares, índios e autoridades estarão no local, que funcionou como uma espécie de Instituto Médico Legal (IML) para o translado dos corpos, nos dias que sucederam à tragédia. Pelo menos 100 famílias ainda aguardam indenização da GolGol pode enterrar restos do Boeing na floresta Especial sobre a crise aérea No mesmo horário, um avião da Aeronáutica irá sobrevoar a região de mata fechada e de difícil acesso onde o avião caiu. Flores brancas serão jogadas em memória dos mortos do segundo maior acidente da aviação civil brasileira. Um galpão foi improvisado para a realização da cerimônia, informou o administrador da fazenda, Ademir Ribeiro. À época, as equipes de resgate permaneceram 18 dias na fazenda para resgatar e liberar todas as vítimas do vôo 1907 do Boeing 737 que se chocou com o jato executivo Legacy, da Embraer. O julgamento dos acusados pelo Ministério Público de provocar o acidente ocorre na Justiça Federal, em Sinop (MT). Na primeira audiência, ocorrida em agosto, foram ouvidos os quatro controladores de vôo do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta 1) de Brasília. Os pilotos americanos do Legacy, Joseph Lepore e Jan Paladino não compareceram à audiência. Estão sendo julgados à revelia. Na próxima audiência - ainda sem data marcada - serão ouvidas três testemunhas de acusação arroladas pelo Ministério Público.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.