Motorista do caminhão vai para clínica particular no Rio

PUBLICIDADE

Por THAISE CONSTANCIO
1 min de leitura

O motorista do caminhão que bateu em uma passarela na Linha Amarela e deixou quatro mortos e cinco feridos, Luis Fernando Costa, de 30 anos, foi transferido de madrugada do Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca (zona oeste do Rio), para uma clínica particular. O delegado responsável pelo caso, Fábio Asty, disse que foi avisado sobre a transferência de Costa, que será indiciado por quatro homicídios culposos (sem intenção). Asty conversará com a imprensa na tarde desta quarta-feira, 29.Até o momento, as hipóteses de investigação são se Costa falava ao telefone na hora do acidente, se teria levantado a caçamba para esconder a placa do caminhão ou se houve erro mecânico.O delegado espera ouvir ainda hoje o motorista de ônibus, identificado como Antônio Carlos, que tentou avisar Costa que a caçamba estava levantada. Asty também quer ouvir Costa e as vítimas sobreviventes assim que receberem alta do hospital. A Policia Civil analisa as imagens das câmeras de segurança e aguarda o resultado dos laudos periciais.Em depoimento não-oficial no hospital, Costa contou ao delegado que trafegava a 85 km/h na pista onde a velocidade máxima é 80 km/h. Ele também revelou que sabia que o horário era proibido para caminhões, que só podem trafegar na via depois das 10h.Estão em estado grave Jairo Zenatte, motociclista atingido pela queda da passarela, no Hospital Geral de Bonsucesso, e Luiz Guimarães, que teve traumatismo craniano e fratura dos arcos costais, no Hospital Municipal Salgado Filho.#ET

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.