PUBLICIDADE

Projetos para reciclagem terão verba de R$ 4 milhões

Essa verba será destinada para instituições privadas que encaminhem propostas para a implantação do Programa de Apoio às Organizações de Catadores de Materiais Recicláveis

PUBLICIDADE

Por Agencia Estado
Atualização:

A atividade de coleta e reciclagem de resíduos sólidos, um dos setores econômicos que mais cresceram em todo o mundo nos últimos anos, receberá um impulso extra do governo este ano. O Fundo Nacional de Meio Amb iente (FNMA) anunciou que destinará R$ 4 milhões para instituições privadas sem fim lucrativos que encaminhem propostas para a implantação do Programa de Apoio às Organizações de Catadores de Materiais Recicláveis. As propostas. a serem apresentadas até 19 de março próximo, segundo a Agência Brasil, devem ser aplicáveis nas regiões metropolitanas ou capitais. De acordo com o gerente de Fomento e Projetos do FNMA, Fábio Cidrin, o objetivo do Programa é aumentar os índices de coleta seletiva e de reciclagem nas regiões mais densamente povoadas do país. "Para isso é necessário capacitar e fortalecer os catadores por meio de associações ou cooperativas que atuem em parceria com as prefeituras", disse. O fortalecimento do mercado da reciclagem no Brasil - que movimentou cerca de R$ 3 bilhões em 2002 e ultrapassou esta marca em 2003 - também pode significar a ampliação de postos de trabalho em médio prazo. Num primeiro momento, segundo Cidrin, o apoio d o FNMA contribuirá para ampliar e melhorar as condições de trabalho dos catadores, além de ajudar na gestão integrada dos resíduos sólidos nas principais cidades, o que é uma meta do Ministério do Meio Ambiente (MMA). O edital, que define as regras de acesso aos recursos, está no endereço www.mma.gov.br/fnma. Cada projeto deve abranger, no mínimo, dois municípios por região metropolitana ou então uma capital que não esteja inserida em região metropolitana. A meta é de senvolver os Sistemas de Coleta Seletiva de Materiais Recicláveis e, assim, ampliar os índices de reciclagem e diminuir a quantidade dos resíduos nos aterros sanitários.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.