PUBLICIDADE

Publicidade

Para G24, ação decisiva de países ricos é essencial contra crise

Por LESLEY WROUGHTON

Países em desenvolvimento pediram nesta sexta-feira ações "decisivas" dos países industrializados para garantir que a turbulência financeira originada nos Estados Unidos não se espalhe. O G24, que reúne países em desenvolvimento de África, Ásia e América Latina, também pediu que o Fundo Monetário Internacional (FMI) melhore "com urgência" seu monitoramento dos EUA e de outras economias avançadas. Até agora, as economias emergentes foram pouco afetadas pela crise, mas elas temem que possa haver uma desaceleração mais forte do crescimento global e aperto dos mercados de crédito. Um comunicado do G24 também chamou as nações ricas para que dêem mais ajuda aos países mais pobres para que lidem com as consequências da crise financeira e as pressões advindas dos altos preços de alimentos. Tal ajuda deveria ser uma adição --e não parte-- de uma colaboração já prometida para ajudar países pobres, afirmou o G24 após a reunião semestral do FMI e do G7, em Washington. O grupo também pediu que o Fundo ajude a amortecer o impacto da crise do subprime. "Os mercados emergentes e os países em desenvolvimento vão precisar de flexibilidade no que diz respeito às políticas fiscal e monetária para suavizar o impacto de choques externos em suas economias, e de regulação e supervisão mais fortes para melhorar a resistência de seus sistemas financeiros", apontou o comunicado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.