PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Os Hermanos

Uma quarentona supimpa: Mafalda sopra hoje 49 velinhas (eeeh...bem... é um de seus aniversários)

  

PUBLICIDADE

Por arielpalacios
Atualização:

Mafalda, a inconformista menina-filósofa com senso de humor ferino, que analisa a conjuntura mundial e é apaixonada pelos Beatles (e odeia a sopa que sua mãe prepara) é o cartum argentino mais famoso em todo o planeta.

PUBLICIDADE

Hoje, 15 de março, Mafalda, teoricamente, faz aniversário. Ela está assoprando 49 velinhas.

Mas, esta afirmação não é categórica, já que segundo seu "pai" (não o dos quadrinhos, mas sim, seu autor), Joaquín Lavado (famoso mundialmente por seu apelido familiar/nome artístico Quino), Mafalda possui dois aniversários.

Na Buenos Aires de tinta nanquim ela nasceu "oficialmente" no dia 15 de março de 1962. Nessa data ela foi criada para uma propaganda de um eletrodoméstico da empresa Mansfield.

Mas, para os portenhos deste nosso mundo de carne e osso, sua estreia para o público foi o 29 de setembro de 1964, quando virou tirinha no jornal "El Mundo" (periódico que não existe mais).

Publicidade

Nessa ocasião, no entanto, Mafalda não "nasceu" com zero anos...ela tinha "6 anos"!

Portanto, hoje Mafalda teria 49 anos. Ou 46 (47 a partir do dia 29 de setembro deste ano), se levarmos em conta sua estreia oficial para o público. Ou 52 anos, se levarmos em conta que, quando apareceu para os leitores (os das tirinhas, não os da publicidade) pela primeira vez tinha uma idade "quadrinhística" de seis anos de idade (ia na escola).

Mafalda foi publicada somente entre 1964 e 1973. No entanto, a tirinha continua sendo um boom de vendas em inúmeras reedições na Argentina e no resto do mundo.

Depois de Mafalda, Quino continuou tendo amplo sucesso com outras charges e tiras. Desde os anos 70 o desenhista reside na Europa.

Charles M. Schultz (1922-2000), o criador do personagem Snoopy, da tirinha Charlie Brown, costumava definir Quino como "um gigante".

Publicidade

E, para celebrar este aniversário, aqui seguem uma série de frases desta emblemática menina-filósofa, que tornou-se ícone da rebeldia e foi/é adorada por milhões de leitores em todo o mundo.

Aliás, entre estes, além de Umberto Eco (fascinado por Mafalda, escreveu um ensaio sobre a menina) estavam o autor de "O jogo da amarelinha", o escritor Júlio Cortázar (que lia sempre suas tirinhas). Cortázar disse sobre ela em 1973: "O que é que eu penso da Mafalda? Isso não importa! O importante é o que é que a Mafalda pensa de mim!".

FRASES DE MAFALDA

"Mais do que um planeta, este aqui é uma grande casa da mãe Joana espacial!"

"Não há nada! Em todos os canais só há televisão! (Mafalda, procurando algum programa bom na TV)

Publicidade

"E por favor, senhor, que nunca sejamos o presunto do sanduíche internacional" (Mafalda, à noite, rezando)

"O negocio é encarar a artificialidade com naturalidade"

 "O pior é que a piora começa a piorar"

"Todos acreditamos no país! O que já não sei a esta altura é se o país acredita na gente..."

"Estamos fritos rapazes! Acontece que, se a gente não se apressa em mudar o mundo, depois é o mundo que muda a gente..."

Publicidade

 "Parem o mundo, que eu quero descer!"

"E Deus terá patenteado a ideia deste manicômio redondo?" (pensa, depois de olhar para o globo terrestre na sala de sua casa)

 "Todos acreditamos no país...o que a gente não sabe é se neste ponto das coisas o país acredita na gente!"

"Se viver é durar, prefiro uma canção dos Beatles em vez de um long play dos Boston Pops"

"Não é que não haja bondade..o que acontece é que ela está incógnita"

Publicidade

"Errare politicum est"

"Veem? Este é o palito de esmagar ideologias" (Mafalda avalia as funções do cassetete) 

 

Em 2009 "Os Hermanos" recebeu o prêmio de melhor blog do Estadão (prêmio compartilhado com o blogueiro Gustavo Chacra).

 
 

Publicidade

......................................................................................................................................................................Comentários racistas, chauvinistas, sexistas, xenófobos ou que coloquem a sociedade de um país como superior a de outro país, não serão publicados. Tampouco serão publicados ataques pessoais aos envolvidos na preparação do blog (sequer ataques entre os leitores) nem ocuparemos espaço com observações ortográficas relativas aos comentários dos participantes. Propaganda eleitoral (ou partidária) e publicidade religiosa também serão eliminadas dos comentários. Os comentários que não tiverem qualquer relação com o conteúdo da postagem serão eliminados. Além disso, não publicaremos palavras chulas ou expressões de baixo calão (a não ser por questões etimológicas, como background antropológico).

 
 
Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.