Acusado de tráfico do Rio é preso em SP

Jurado de morte por traficantes do Rio de Janeiro, Inácio de Castro Silva, de 33 anos, conhecido como Canelão, foi preso por policiais das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) em uma casa na Rua Serra Uassari, número 140, no Jardim Campanário, em Diadema, no Grande ABC, na noite desta quinta-feira, 2. Uma denúncia anônima guiou a Polícia Militar (PM) até o procurado pela Justiça por tráfico de drogas.

PEDRO DA ROCHA, Agência Estado

03 de agosto de 2012 | 07h29

Com a informação de que um carioca conhecido como Canelão estaria na casa com armas e drogas, os policiais fizeram uma pesquisa e descobriram ser ele um traficante pertencente à facção criminosa Comando Vermelho (CV). Segundo informações do governo do Rio de Janeiro, Silva teria brigado pelo controle do tráfico de drogas da favela da Rocinha com o bandido conhecido como Nem, pertencente à facção criminosa Amigo dos Amigos (ADA). Nem ganhou a disputa e Canelão fugiu para não ser morto.

Ao chegarem na residência em duas viaturas os Pms viram que uma pessoa tentava fugir pelo telhado. Ao ver que estava cercada e visível, ela voltou para a casa. Ao entrarem na moradia encontraram Silva deitado com as mãos na cabeça. Ele apresentou um R.G falso, mas uma procuração para um advogado revelou ser ele o foragido da Justiça.

O tenente Virgílio Corrêa, da Rota, contou que não houve resistência e nenhuma droga ou arma foi encontrada no local. "Ele disse que não estava no crime e sobrevivia fazendo bicos. Pelo ambiente simples parecia mesmo que ele não possuía maiores recursos", relatou Corrêa. Canelão afirmou que para entrar para a criminalidade em São Paulo teria que avisar de sua chegada a traficantes locais, mas não o fez com medo de ser morto. Ele viveria há dois na capital paulista. Silva deve ser transferido para o Rio de Janeiro. O caso foi registrado no 3º Distrito Policial (DP) de Diadema.

Tudo o que sabemos sobre:
traficanteprisãoCanelão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.