Após invasão, médicos pedem demissão da UPA do Alemão

O secretário municipal de Saúde, Hans Dohmann, disse que dois médicos pediram demissão da UPA do Alemão por causa da invasão ocorrida na noite desta segunda-feira, 28. Dois enfermeiros, que tentaram impedir a entrada dos invasores, ficaram feridos. Dohmann disse que a UPA ficará fechada por tempo indeterminado.

MARCELO GOMES, Agência Estado

29 Abril 2014 | 12h57

A secretaria ainda está fazendo levantamento do prejuízo causado, mas ele falou que foram destruídos computadores, aparelhos de televisão, mesas e cadeiras. Ainda segundo o secretário, os pacientes internados na UPA foram transferidos para os Hospitais Souza Aguiar, Getúlio Vargas e Miguel Couto.

Ele também negou que a invasão da unidade tenha ocorrido em protesto por problemas no atendimento do rapaz de 21 anos, baleado durante a manifestação e que foi socorrido na UPA antes de ser transferido para o Hospital Getúlio Vargas. "Foi um ato de vandalismo e cabe à Secretaria de Segurança fazer as investigações. À Secretaria de Saúde cabe recompor a equipe o mais rápido possível", afirmou.

Mais conteúdo sobre:
Rio protestos UPA fechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.