Após um mês, servidores voltam ao trabalho em Salvador

Depois de 30 dias de greve, os servidores da Prefeitura de Salvador decidiram, em assembleia realizada na manhã de hoje, aceitar a proposta da administração municipal e acabar com a paralisação. Os servidores iniciaram o movimento cobrando reajuste linear de 100% nos salários. A prefeitura oferecia 1% de aumento, alegando queda de arrecadação, pela crise econômica mundial. O Sindicato dos Servidores da Prefeitura do Salvador (Sindseps) foi, gradativamente, diminuindo o pedido de reajuste. Primeiro para 50%, depois para 14%.

TIAGO DÉCIMO, Agencia Estado

15 Julho 2009 | 16h48

Na noite de ontem, os servidores receberam a última proposta da prefeitura, que equiparou os reajustes da categoria aos conquistados pelos professores da rede municipal - 3%, mais o avanço de um patamar no plano de carreira (correspondente a 2,5% de aumento salarial) e a criação de um plano de saúde para os servidores. "Não é o que queríamos, mas é um avanço", disse o diretor do Sindseps, Gustavo Mercês. Em nota, a prefeitura afirma que "o índice concedido representa um enorme sacrifício para a administração municipal".

Mais conteúdo sobre:
greve servidores Salvador

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.