Avião cai sobre bairro no Congo; há sobreviventes

Um avião caiu na terça-feira sobreum bairro de comércio popular da cidade de Goma, no leste doCongo, matando pelo menos 21 pessoas no solo. A companhia aéreadiz que a maioria dos 79 passageiros sobreviveu. O governador local e Cruz Vermelha inicialmente informaramque havia mais de 70 mortos e apenas 6 sobreviventes na quedado DC-9 da Hewa Bora Airways. Mas Dirk Cramers, diretor demarketing da empresa, afirmou a que maioria dos 79 passageirose todos os 7 tripulantes sobreviveram. "Com ajuda da ONU, pudemos retirar quase todos ospassageiros antes que [o avião] pegasse fogo", disse Cramers àReuters. Ele disse acreditar que todos os 21 mortos confirmadosaté agora fossem comerciantes e clientes do bairro de Birere,onde o avião caiu ao tentar decolar. O governador de Kivu do Norte, Julien Paluku, inicialmentedisse haver seis sobreviventes a bordo, mas depois informou àReuters que 19 corpos haviam sido resgatados e que 76 feridosestavam sendo atendidos em hospitais de Goma. Cramers disse que o avião chegou ao final da pista semvelocidade suficiente para decolar, por causa do excesso deágua no asfalto, e que o piloto tentou abortar a operação, maso avião deslizou. "Foi uma decolagem abortada e o avião bateu no muro. Bematrás do muro havia algumas lojas. E a maioria das vítimas é delá", disse ele. Frederic Katemo, de 51 anos, contou que estava sentado, como cinto de segurança apertado, quando ocorreu a batida."Saltamos e conseguimos sair. Dava para sentir o fogo atrás dagente", contou ele. O nariz do avião ficou praticamente intacto, mas o acidenteespalhou pedaços de barracas de comércio e entulho de casas poruma rua do bairro de Birere. Pelo menos um prédio foidestruído, e vários estão em chamas. Uma enorme coluna defumaça se ergue do local. Policiais congoleses e soldados da ONU tiveram dificuldadespara conter a multidão de curiosos. O Congo (antigo Zaire), gigantesca ex-colônia belga queainda se recupera de uma longa guerra civil, tem um dos maioresíndices de acidentes aéreos do mundo, inclusive em Goma, cujoaeroporto fica ao pé de um vulcão. "Já esperávamos algo assim. Houve muitos acidentes bematrás do aeroporto", disse à Reuters o ambientalista SergeUkundji, que vive em Goma. Na semana passada, a União Européia colocou a Hewa BoraAirways na lista de empresas proibidas de voar para os 27países do bloco por razões de segurança. Houve oito acidente aéreos no ano passado na RepúblicaDemocrática do Congo, segundo o Acro, órgão de Genebra queregistra esses incidentes. A Iata (Associação Internacional do Transporte Aéreo) dizque a taxa de acidentes na África é seis vezes maior do que noresto do mundo, algo que a entidade considera "constrangedor." Especialistas citam o Congo, com sua frota de velhosaviões, muitos deles soviéticos, como um dos piores entre ospaíses africanos. (Reportagem adicional de Lubunga Bya'Ombe em Kinshasa,William Schomberg em Bruxelas, texto de Pascal Fletcher e NickTattersall)

NAOMI SCHWARZ, REUTERS

15 de abril de 2008 | 20h20

Tudo o que sabemos sobre:
CONGOACIDENTE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.