Bairro alagado será desapropriado em SP

Quatro dias após a chuva que alagou regiões de São Paulo, os oito bairros que compõem o distrito Jardim Helena, na zona leste, e margeiam o Rio Tietê continuam alagados. A Prefeitura informou que nada pode ser feito, a não ser esperar a água baixar - e como voltou a chover ontem, ainda que em intensidade moderada, não há previsão de quando isso pode ocorrer. A solução definitiva só virá quando o bairro deixar de existir, no próximo ano. Isso ocorrerá porque a área integra o futuro parque Várzeas do Tietê, que será construído pelo governo do Estado.

AE, Agencia Estado

12 Dezembro 2009 | 10h29

A área inundada tem cerca de 3,1 mil habitações, que devem ser desocupadas até março, conforme o Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee). O Estado, porém, não sabe exatamente o número de famílias que moram nesses imóveis - muitos compreendem mais de uma casa, ou mesmo mais de uma família dentro de um cômodo. Não se sabe como serão feitas as remoções das habitações e tampouco para onde as famílias serão levadas.

No ano passado, foram retiradas mais de 600 famílias da Vila Jacuí para construção do primeiro núcleo do parque. Os moradores receberam dinheiro. As obras desse núcleo estão adiantadas e a previsão é inaugurá-lo em janeiro. Já no Jardim Helena um cadastramento dos moradores estava previsto para ser iniciado há cerca de um mês. A ação seria feita pelo Daee e também pela Secretaria de Habitação. Uma reunião com líderes comunitários foi realizada no anfiteatro da Subprefeitura de São Miguel Paulista. Mas, dias depois, os líderes locais não aceitaram o início do cadastro. Nova reunião para discutir as desapropriações ocorrerá hoje, na Igreja de Santa Rosa de Lima. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
chuvas SP inundação

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.