Britânico é preso sob suspeita de invadir site de agência governamental

Inicialmente foi divulgado que site tinha sido atacado por grupo de hackers que se autointitula Lulz Security.

BBC Brasil, BBC

21 Junho 2011 | 15h09

Um britânico de 19 anos foi preso nesta terça-feira em uma operação conjunta da Scotland Yard e do FBI para capturar hackers.

O jovem, preso no condado de Essex, leste da Inglaterra, foi identificado por parentes como Ryan Cleary. A polícia, no entanto, oficialmente não divulgou seu nome.

Na segunda-feira, o site da Agência britânica contra Crimes Organizados Graves (Soca, na sigla em inglês) foi tirado do ar depois de um ataque que teria sido feito por um grupo de hackers que se autointitula Lulz Security, que já alegou ter atacado sites como da Sony Pictures, da rede online de videogames da Sony, entre outros.

A Scotland Yard afirmou que a operação que resultou na prisão desta terça-feira ocorreu depois de uma série de ataques por um mecanismo chamado DDoS (distributed denial-of-service attack, ou "ataque distribuído de negação de serviço", em inglês), que faz com que as páginas saiam do ar.

As autoridades não confirmaram, no entanto, que o Lulz Security foi o responsável por estes ataques.

"A prisão ocorre depois de uma investigação sobre invasões à rede e ataques DDoS contra vários negócios internacionais e agências de inteligência do que acredita-se ser o mesmo grupo de hackers", afirmou um porta-voz da Scotland Yard.

O jovem foi levado para uma delegacia no centro de Londres, onde está sendo interrogado.

A mãe de Cleary falou com a rádio da BBC em Essex e confirmou que seu filho foi preso nesta terça-feira, acrescentando que ele era obcecado por computadores desde os 12 anos de idade.

"Computadores eram o mundo dele", afirmou.

Um porta-voz do FBI afirmou que, "no momento" não tinha nada a declarar a respeito do caso.

'Risadas'

Quando o grupo de hackers Lulz Security, também conhecido como LulzSec, apareceu pela primeira vez, em maio, eles afirmaram que eram uma organização bem-humorada que queria criar "diversão e risadas (Lulz, ou laughts, em inglês) online".

Mas o LulzSec estaria planejando se estabelecer como um grupo adversário ao outro grupo de hackers, o Anonymous, que atacou empresas que deixaram de prestar serviços ao site WikiLeaks no final de 2010.

Inicialmente, o LulzSec atacou redes de televisão americanas como a PBS e a Fox, além da Sony. Mas, a página no Twitter do grupo declarou sua intenção de entrar em páginas do governo e divulgar documentos confidenciais.

O grupo é suspeito de invadir páginas da CIA e do serviço público de saúde britânico, o NHS. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.